Marketing Digital — use as plataformas corretas e tenha bons resultados

www.pixabay.com

O marketing digital ou virtual, já é uma realidade no cotidiano das empresas em todo o mundo e deve ser também uma preocupação dos empreendedores de pequenos negócios. Cada vez mais utilizadas, as redes sociais são grandes aliadas na divulgação de produtos e serviços, além de realizar uma aproximação entre clientes e marcas.

As plataformas mais usadas pelas empresas de sucesso e pelos consumidores são o Facebook, Twitter, Instagram e o WhatsApp. Conheça um pouco mais sobre essas ferramentas e como utilizá-las a seu favor:

Facebook

Umas das principais plataformas, se não a principal, quando se trata de marketing digital, é o Facebook. Essa ferramenta proporciona uma interação quase completa entre empresa e consumidor, com imagens, textos, vídeos, além do contato direto via bate-papo. Outro ponto de crucial importância dessa rede social é a possibilidade de patrocinar seus post’s, fazendo com que eles alcancem um público com perfil segmentado estrategicamente por você, aumentando o alcance do seu público alvo.

Algumas dicas para obter sucesso no Facebook são dar preferência a textos curtos, que resumam o que está à venda e uma foto ilustrando esse produto. A criação de uma página (Fanpage) para o seu empreendimento também é fundamental para divulgar e vender seus produtos e serviços.

Twitter

O Twitter é uma das plataformas apresentadas aqui que mais limita a interação entre empresa e consumidor. Isso porque o tamanho do texto a ser usado nas publicações é limitado a 140 caracteres. Então, se você quer anunciar pelo Twitter, saiba sintetizar suas ideias e mantenha uma linha de publicação diária com uma periodicidade de postagens. As hashtags possuem grande importância no Twitter. Crie três ou quatro que possam representar bem sua marca e passe a utilizá-las. Essa plataforma pode ser um bom meio de aproximar seu cliente da sua empresa, pois proporciona uma linguagem mais pessoal e próxima da sua clientela. Personificar sua página também ajuda a atrair clientes.

Instagram

O Instagram é uma plataforma que vem sendo muito usada principalmente pelo comércio, pois funciona à base de publicações de fotos e vídeos curtos, tornando-se uma boa alternativa de divulgação e vendas. O Instagram já permite inserir mais de uma foto na mesma publicação, aumentando as vantagens para quem pretende divulgar um produto. Inúmeras empresas já utilizam a rede social dessa forma, postando a foto do produto e aguardando interações e contato através da “Direct” — o bate papo do Instagram — para assim negociar e efetuar a venda. Publicar fotos de alta qualidade e com certa periodicidade são dicas para efetuar um bom marketing digital nessa plataforma.

WhatsApp

O WhatsApp como marketing digital é a plataforma onde você tem o contato direto com seu cliente. Ele permite o envio de mensagens escritas, áudios e vídeos, que se enviados de forma estratégica, podem influenciar o consumo de seus produtos ou serviços. Você pode utilizar a ferramenta para divulgar seus produtos e serviços, avisar sobre promoções, responder às perguntas dos clientes e atender delivery.

Você deve tomar cuidado, porém, para não bombardear seu cliente de mensagens e causar um feedback negativo. Por isso, importante fazer um “Double opt-in”, ou seja, pergunte ao cliente se ele permite esse tipo de comunicação e se você pode adicioná-lo à sua lista de contatos. Quando você manda mensagens para clientes sem autorização, o efeito dessa mensagem pode ser contrário, ou seja, ele pode se irritar por receber mensagens sem autorização.

Não há dúvidas de que o uso das redes sociais é muito importante para as empresas, independentemente de ser uma grande, média, pequena ou microempresa. Cada vez mais a população utiliza a internet e busca esse meio como principal fonte de busca por produtos e serviços. Mas não adianta querer abraçar o mundo se você não consegue.

Planeje as redes sociais nas quais você poderá se dedicar e ter uma boa atuação. É melhor estar atuante em poucas plataformas do que ter presença digital em todas, mas não interagir, responder ou deixar desatualizado.


Já leu nosso último post “Tendências para empreender em 2017”? Confira aqui.

Foque no seu cliente e melhore suas vendas

www.pixabay.com.br

Se você tem uma empresa, sabe que o seu cliente é a peça-chave para o sucesso do seu negócio. Afinal, ele é o responsável por consumir seus produtos ou serviços, além de divulgar de forma positiva ou negativa suas experiências.

O comportamento do consumidor tem mudado com o tempo fazendo com que essas vendas se tornem um pouco mais difíceis. Há uns anos, as pessoas consumiam de lugares próximos a ela e recebiam informações sobre determinados estabelecimentos por meio de pessoas conhecidas ou propagandas de mídias tradicionais como televisão, jornal e rádio.

Hoje isso tudo mudou. O cliente pode comprar um produto de outro estado e até mesmo de outro país, pela internet. Ou seja, o número de concorrentes que você possui agora é infinitamente maior. Além disso, os consumidores têm buscado cada vez mais informações sobre uma empresa antes de adquirir qualquer produto ou serviço. Outra mudança importante é que essas informações são buscadas, na maioria das vezes, em sites e redes sociais, onde as experiências são compartilhadas por qualquer um e você, como empresário, não consegue ter controle.

Por tudo isso é fundamental que você coloque seu cliente como o foco principal do seu negócio. Muitos empreendedores erram ao visar o lucro imediato, ao se preocupar e ensinar seus funcionários a se preocuparem com as vendas em si. E isso é um erro terrível.

Os clientes percebem quando o atendimento está sendo realizado com foco no dinheiro, quando a empresa pensa apenas em realizar a venda. E isso pode até levar à venda em si, naquele momento, caso esteja precisando do produto e veja vantagem, mas sua empresa pode ter perdido a oportunidade de cativar um cliente.

Para essa fidelização é necessário mostrar ao cliente que seus interesses são mais importantes que a venda em si. Busque conhecer seu público-alvo, saber seus interesses, as necessidades que eles têm, e entregue a eles o que procuram: segurança. Isso acontece, por exemplo, quando um cliente recebe uma indicação de que na loja concorrente terá o produto que ele procura. Isso mostra que a loja não está preocupada em perder a venda, mas em agradar.

Mostre aos seus clientes os benefícios daquilo que você está oferecendo, mas de forma sincera e não pensando apenas em realizar mais uma venda. Tenha um bom relacionamento com eles. Mais que falar, escute. É importante saber o quê eles precisam para que possa encontrar a solução que ele precisa.

Para que você consiga conquistar o seu cliente é preciso que você saiba exatamente quem é o seu público-alvo. Você não atingirá bons resultados se atirar para todos os lados. É preciso ter foco! Conheça claramente seu alvo para então pensar em como atingir este alvo.

Lembre-se de que a venda deve ser uma consequência de um bom atendimento. Preocupe-se em primeiro lugar com seu cliente e veja que os resultados serão diferentes.

Foque no seu cliente e melhore suas vendas:

Defina seu público-alvo

Defina como atingir seu público-alvo

Conheça seus clientes

Escute seus clientes

Seja sincero com eles


Já leu nosso último post “7 dicas para ter mais sucesso em 2017”? Confira aqui.

Marketing — Como anda a divulgação do seu negócio?

www.pixabay.com

Divulgar a marca, serviço ou produto da sua empresa é fundamental para que o negócio se mantenha, afinal, é preciso que seus clientes lhe conheçam, lhe indiquem, lhe procurem. Essa divulgação pode ser feita por meio de diversas ações, sejam de publicidade ou de apelo social, levando, assim, ao aumento das suas vendas e o lucro da empresa.

E saiba que estabelecer boas estratégias de marketing é importante para empresas grandes, que já têm nome consagrado, mas também para as pequenas empresas, que precisam ver seu empreendimento crescer. Para isso você pode optar pela terceirização do serviço, contratando profissionais no assunto. Isso vai garantir uma maior assertividade nas estratégias e ações para conquistar clientes, desenvolver projetos de comunicação e identificar tendências, deixando sua empresa à frente da concorrência.

Porém, se você não tem condições de contratar uma assessoria para isso no momento, pode optar, por exemplo, em procurar uma instituição que ofereça este tipo de capacitação. Com informações específicas você consegue realizar algumas ações pontuais e ver resultados positivos no seu negócio.

Ao contrário do que muitos pensam fazer ações para chamar a atenção do cliente não requer gastar rios de dinheiro. Você pode ter planos efetivos e que não custam muito. Confira algumas ações:

1. Esteja nas redes sociais

As redes sociais têm sido cada vez mais utilizadas por todos e se tornou um espaço fundamental para divulgar o seu negócio. Mas não basta apenas estar lá, é preciso saber usar essas ferramentas para que ela se torne sua aliada. Divulgue informações úteis para quem segue o perfil da sua empresa. Busque passar dados relevantes e interessantes para seu público.

2. Direcione sua ação

Sua marca precisa estar nos lugares em que seu público-alvo está. Procure saber onde seus potenciais clientes se encontram e busque levar seu negócio até eles, seja com panfletos, um pequeno quiosque ou fazendo parte das associações e clubes voltados para o setor em que atua.

3. Faça parcerias

Faça promoções conjuntas com outros empreendedores que tenham relação com o seu público-alvo. É possível conquistar novos clientes com essa ação de ajuda mútua.

4. Promova atividades Externas

Tente alinhar sua atividade a eventos que possam atrair seus clientes, como abertura, promoção ou aniversário da sua empresa, ou até mesmo trabalhar em parceria a eventos de terceiros, que possam atrair seus potenciais clientes. Dessa forma você pode conquistá-los aos poucos, sem precisar atuar de forma direta.

5. Envie e-mails

O e-mail marketing é uma ferramenta muito utilizada para divulgação de produtos e serviços. Para que seu e-mail não se torne apenas mais um entre os vários que seu cliente recebe, é preciso ser criativo e nunca abusar da paciência dos internautas para ler e-mails comerciais. Esse tipo de correspondência precisa ter valor para quem lê. Uma desvantagem é que o e-mail pode vir a ser classificado como spam ou até mesmo ser excluído sem ser lido. Lembre-se também de observar as regras de privacidade e boas maneiras desta ferramenta.


Já leu nosso último post “Como empreender usando o 13° salário”? Confira aqui.

Lucrando com a Black Friday

www.pexels.com

A Black Friday surgiu como uma data de mega descontos do varejo norte-americano e ganhou o mundo. Incorporada ao calendário brasileiro, o dia é dedicado a promoções e pode ser uma ótima oportunidade para as pequenas empresas destacarem-se no mercado.

No inicio a Black Friday era realizada somente no universo online, o que mudou muito nos últimos anos, trazendo assim a mega promoção também para o espaço físico, gerando mais uma opção a você, empresário, e aos seus consumidores.

De acordo com pesquisa do Google, divulgada no site E-commerce Brasil, o curto período da Black Friday de 2015 foi mais poderoso para alavancar as vendas do que as duas semanas que antecederam o Dias das Mães, tradicionalmente a segunda melhor data do varejo brasileiro.

Segundo a pesquisa, a expectativa é que este ano o resultado também seja positivo, já que, apesar da queda geral no consumo, as vendas vêm crescendo nas datas especiais: aumentaram 8% no Dia das Mães deste ano, 12% no Dia dos Pais e 16% no Dia dos Namorados.

E a participação dos pequenos negócios na Black Friday também tem crescido, pelo menos no comércio eletrônico, segundo pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). As duas instituições concedem, anualmente, um selo promocional para as empresas que se cadastram na promoção e de 2013 para cá, o número de pequenos negócios aderindo cresceu 243%.

E o seu negócio? Também vai participar desta data? A Black Friday deste ano será realizada no dia 25 de novembro. Se você quer participar e lucrar, APROVEITE que ainda dá tempo, CONFIRA as dicas que preparamos abaixo e MÃOS À OBRA!

· Planeje suas vendas para o dia: defina a faixa de descontos que será oferecida para cada categoria de produtos;

· Não crie falsas promoções, tentando enganar o consumidor. Faça boas ofertas, mas ATENÇÃO: oferecer descontos indiscriminadamente poderá colocar em risco a saúde financeira da empresa. Por isso aproveite o tempo que tem e faça um planejamento correto.

· Aproveite para queimar itens de menor giro com essas promoções, mas lembre-se que os itens novos são os que chamam a atenção, então, prepare algo especial para eles também.

· Aproveite a mídia espontânea da Black Friday. É bem provável que acessem seu site/página, visitem seu estabelecimento para saber se você tem alguma oferta;

· Este será um momento importante para aumentar a base de clientes. Não pense somente no lucro desta data específica, pense no potencial de vendas a longo prazo;

· Deixe sua vitrine bem atraente. É fato comprovado: uma vitrine adequada pode aumentar as vendas em até 30%.

· Na loja virtual não ofereça prazos impossíveis de serem cumpridos. Se for necessário, amplie o prazo atual para que possa realizar o que prometer;

· Divulgue as promoções nas redes sociais;

· Treine/capacite sua equipe para atender bem os clientes. Um bom atendimento pode gerar uma boa propaganda “boca a boca”.

· Ofereça meios de pagamentos (sempre mais de uma bandeira de cartão de crédito);

· Deixe o ambiente aconchegante: temperatura, luminosidade e sonorização.

Se você possui um e-commerce também pode aproveitar para participar da campanha Black Friday Legal, da câmara-e.net. O objetivo é criar um ambiente de confiança e promover as boas práticas no e-commerce durante o período da Black Friday. Além de emitir o Selo Black Friday Legal 2016 às empresas participantes do programa, a camara-e.net também capacita as lojas virtuais para que possam se preparar melhor para a data promocional.


Já leu nosso último post “Como gerir uma empresa familiar?”? Confira aqui.

Redes sociais: aliadas ou vilãs do seu negócio?

www.pexels.com

Mesmo que você não tenha uma página oficial nas redes sociais, provavelmente seu produto ou serviço já foi ou é assunto na internet. Inevitavelmente vão falar do seu negócio através de comentários, indicações ou até reclamações. O segredo para evitar o falatório e causar uma boa impressão é se relacionar. Por isso é importante saber como potencializar os efeitos da comunicação nas redes sociais, transformando-a em sucesso para sua ação.

Dessa forma, não se esconda, saiba ouvir as críticas e se prepare para resolvê-las, conheça o seu público e seja agradável. Porém, não basta criar uma conta ou um perfil e deixar jogado às mínguas. É preciso usar e usar de forma correta para que os resultados sejam positivos para sua empresa.

Lembre-se que as redes sociais não são exclusividade dos jovens e nem atinge determinadas classes sociais. Hoje todos acessam a internet e querem se comunicar com empresas, sejam elas grandes ou pequenas. E essa comunicação, diferentemente do que acontece com as mídias tradicionais, como televisão ou rádio, onde o público apenas recebe a mensagem, a internet permite que o consumidor também interaja, faça seu comentário, dê sua opinião, faça sua crítica e sugestão.

Uma grande vantagem das redes sociais na comunicação empresarial é o baixo custo para fazer anúncios. Além disso, a resposta pode ser bem mais rápida do que se fosse usado um serviço telefônico de atendimento ou mídia tradicional.

Confira abaixo 5 dicas para não transformar em vilã, uma ferramenta que pode ser uma grande aliada.

1. Escolha a melhor rede social para divulgar seu negócio

Atualmente o Facebook tem se mostrado uma boa ferramenta por ter maior número de perfis ativos e também funcionalidades de auxílio como calendário, convite a amigos, confirmação de presença em eventos, entre outros. Porém você precisa conhecer um pouco de cada ferramenta para verificar qual lhe atende melhor. Entre os mais populares estão o Twitter, Instagram e Snapchat. Muito cuidado também para não abrir uma conta em cada rede e não usá-las adequadamente. Não adianta nada fazer apenas por fazer. Se não tem pernas para cuidar de tudo, vá com calma. Melhor ter uma conta bem trabalhada, com boas postagens e interações do que estar presente em todas, mas elas ficarem abandonadas.

2. Seja claro nas informações sobre a sua empresa

Ao criar o perfil ou conta do seu empreendimento, seja claro nas informações. Coloque nome da empresa, endereço telefone para contato, e-mail. Dependendo da rede social que for usar, preencha as principais informações sobre a empresa, como horário de funcionamento e até mesmo forma de pagamento. Tudo isso ajuda o cliente a encontrar a sua empresa e ele já fica sabendo algumas informações, por exemplo, se sua empresa aceita cartão de crédito.

3. Esteja sempre acessível

Ao divulgar informações, como telefone e e-mail, lembre-se que estes também são canais de acesso para clientes ou novos clientes entrarem em contato, seja para elogios, reclamações, orçamentos ou mesmo para comprar produtos ou serviços. Por isso fique atento e disponível.

4. Responda as interações

Caso os clientes comentem na sua página, busque manter uma interação e responder sempre que possível. Mostre que você está à disposição e mantenha um diálogo. Esteja preparado também para as críticas e reclamações. Entenda o que está acontecendo e se prontifique a resolver os problemas da melhor forma e no menor tempo possível. Não ignore os comentários, pois essa prática é muito mal vista pelos internautas e sua empresa pode ser mal falada.

5. Monitore os resultados

Fique sempre de olho nos resultados de suas publicações. Veja os horários que suas divulgações terão maiores alcances, veja quais posts terão mais interações, como vídeos, textos, imagens. Utilize ferramentas para monitoramento (muitas são gratuitas) para acompanhar o seu desempenho nas redes sociais e tenha dados para ajudar a traçar a estratégia para seu negócio.

Apesar de serem gratuitas e estarem à disposição de todos, se você quer utilizar as redes sociais para fomentar a sua empresa, deve utilizá-las com profissionalismo para que os resultados alcançados sejam os que você espera. Separe um tempo para traçar as estratégias, coloque-as em prática, monitore e altere sempre que preciso, afinal, os hábitos dos clientes mudam constantemente e é preciso estar sempre antenado.


Já leu nosso último post “Educação à distância — conhecimento a qualquer hora e em qualquer lugar”? Confira aqui.

Moda plus size: um segmento a ser explorado

www.pexels.com

Mais da metade da população brasileira adulta está acima do peso. E dessa parcela, 17,9% estão obesas, segundo dados da pesquisa Vigital (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). Essas pessoas demandam por roupas de tamanhos grandes e aquecem um nicho de mercado em expansão: o de moda plus size.

A procura por roupas desse tipo tem crescido e atualmente existem poucas empresas atuando no ramo, podendo se tornar uma possibilidade de negócio, especialmente para micro e pequenas empresas.

De acordo com pesquisa do Sebrae, 17,7% das lojas do varejo da moda do Brasil vendem roupas em tamanho grande, sendo que apenas 3,5% são especializadas em moda plus size. Segundo o estudo, 71% das pessoas que usam tamanho GG têm dificuldades para encontrar roupas nas lojas e 86% delas se dizem insatisfeitas com as opções de roupas para manequins grandes.

A pesquisa mostra também que a maioria do público tem dificuldades de comprar vestido de festa (59%), calças (56%) e lingerie (49%). Além disso, a maior parte compra roupas mensalmente (38%) em lojas de departamento, em sua maioria (52%).

Apesar dos números apontarem um nicho de mercado a ser explorado, os interessados devem ficar atentos, pois atuar nesse segmento exige uma compreensão sobre o público, suas necessidades, anseios, percepções e comportamentos. São pessoas que procuram não apenas uma roupa que atenda ao seu manequim, mas conforto por meio da costura, do corte, do tecido, sem deixar de lado a beleza da peça.

Você também pode segmentar ainda mais esse público e trabalhar com produtos direcionados, por exemplo: jovem, feminino, masculino, infantil, casual, festa, fitness, moda praia etc.

Se você se interessou pelo assunto e pretende atuar no mercado plus size, confira algumas dicas importantes:

Faça um plano de negócios

Elabore um plano de negócios para compreender a demanda em sua região, quem são seus clientes, concorrentes, fornecedores e quais as chances de sucesso do empreendimento.

Seja diferente

Para alcançar seu público-alvo, busque diferenciais. Apesar do número de empresas relacionadas a este segmento ser menor, é importante atrair e fidelizar seus clientes. Ofereça vantagens e benefícios exclusivos e tenha em mente que a moda plus size não deve ter o objetivo de disfarçar o excesso de peso, mas valorizar partes do corpo e ser confortável. Que tal ter à disposição um personal stylist?

Invista na moda

Aposte em peças com rendas, brilhos, cores e modelos que estão na moda. Fique atento às tendências para garantir que suas peças caminhem na mesma direção. Assine revistas especializadas, acesse blogs e sites de referência, busque estar sempre informado sobre o assunto. Cada vez mais bem resolvidas, mulheres desse nicho querem peças com mais charme.

Treine seus vendedores

Conhecer o produto ou serviço oferecido e saber lidar com clientes são atitudes fundamentais. Lembre-se que, mesmo quando um cliente vai até seu estabelecimento somente para olhar alguma promoção, o bom atendimento pode fazer a diferença para uma compra efetiva acontecer no momento ou futuramente e ainda indicar a empresa para outros clientes.

Se você se interessou pelo tema, pode dar uma olhada em outras informações no Papo de Negócios. Lá você encontrará outras dicas voltadas para a moda plus size.

Mas lembre-se: mesmo com um nicho de mercado em expansão e diversas informações sobre o segmento, é importante fazer um planejamento antes de iniciar o negócio. Contrate uma consultoria; busque outras informações em livros e fontes confiáveis; faça capacitações presenciais e online; busque instituições de apoio às empresas. Planeje-se, busque conhecimento e tire sua ideia do papel.


Já leu nosso último post “6 Dicas para vender mais em tempos de crise”? 
Confira aqui.

7 Dicas para Lucrar Mais com Datas Comemorativas

www.pexels.com

O ano tem 365 dias e, dentro destes, diversos recebem uma atenção especial por serem datas especiais. Dia das Mães, dos Pais, dos Namorados, das Crianças e Natal são as datas comemorativas que mais movimentam o comércio, fazendo com que as vendas aumentem.

Com o mercado cada vez mais competitivo é preciso que você fique atento às oportunidades e coloque a criatividade em ação para atrair clientes, principalmente com as proximidades das datas comemorativas, que por si só já levam as pessoas às compras.

É preciso ficar atento também a algumas datas que não possuem um dia específico, mas podem ser aproveitadas com promoções, vitrines enfeitadas e outros atrativos.

A volta às aulas, por exemplo, é uma oportunidade para lojas de materiais escolares e calçados; a Copa do Mundo deve ser bem aproveitada por lojas de materiais esportivos; as estações do ano podem ser lembradas por lojas de roupas; além de datas comemorativas voltadas especificamente para profissões, que podem ser exploradas com criatividade.

Conhecer bem os clientes, se antecipar às suas necessidades, preparar o estoque e atender bem são algumas das orientações básicas. Porém, há mais algumas dicas que podem ser úteis para ajudar a atrair os clientes:

Planejamento

É primordial que o empreendedor se planeje com antecedência para obter um bom resultado. Para fazer uma ação de sucesso você precisa verificar se há produção suficiente, se o preço é competitivo, negociar com fornecedores, preparar sua logística e definir estratégias de divulgação, entre outras tarefas (não adianta querer fazer tudo em cima da hora!). Uma ferramenta gratuita que pode te ajudar a organizar essas tarefas é o Trello.

Vitrine

Aproveite esses momentos para mudar e personalizar a vitrine e a fachada. Algumas datas já possuem suas características próprias, que facilitam a decoração, como Páscoa, festa junina, Halloween e Natal. Coloque a criatividade em jogo, tomando cuidado apenas com os excessos.

Horário

Para atender àqueles que saem do trabalho mais tarde ou mesmo a quem deixa os presentes para a última hora, pode valer a pena estender o período de funcionamento do estabelecimento.

Kits promocionais

Fazer um combinado de presentes a preços promocionais pode ajudar a vender mais, especialmente para quem ainda não sabe bem o que quer. Essa também pode ser uma boa saída para eliminar alguns produtos que estão no estoque.

Vale-presente

Também é uma boa opção para o cliente que ainda não decidiu o que levar. É uma oportunidade até mesmo de fazer novas vendas quando o cliente aparece para usar o vale que ganhou. Grandes empresas que já trabalham com vale-presente: Lojas Americanas, Riachuelo, Netshoes e Saraiva.

Mídias sociais

Elas vieram para ficar, então, por que não utilizar essas ferramentas baratas e poderosas de acesso ao público? Um post bem feito, relacionado à data comemorativa, pode gerar interações, compartilhamentos e, consequentemente, a divulgação da marca. Se a sua empresa está presente em diferentes mídias sociais, como Facebook, Twitter e LinkedIn, por exemplo, um boa dica é gerenciar todas elas através de uma mesma ferramenta (que é gratuita), o Hootsuite.

Treinamento

É importante orientar os atendentes para que eles abordem os clientes de maneira correta, sendo educados e atenciosos. Eles devem conhecer bem os artigos à venda, suas características e preços. Além de tudo, conversar com os clientes para compreender suas necessidades. Uma forma gratuita e que pode ser feita sem sair de casa são os cursos à distância, oferecidos por diversas instituições brasileiras e estrangeiras, como o EAD Sebrae.


Já leu nosso último post “Inspire-se com Histórias de Empreendedores que Deram Certo”: confira aqui.

Conheça os sete pecados do atendimento


Oferecer um bom atendimento é uma das chaves para o sucesso do negócio, pois o cliente é parte fundamental em qualquer relação de consumo. O empresário precisa perceber que o cliente poderia procurar outra empresa, outra marca, outro produto, mas por algum motivo, lhe deu preferência. Nesse momento é importante dispensar toda atenção possível e atender da melhor forma, para conquistar e manter este cliente.

O consumidor nunca deve sair da empresa com a impressão de que foi mal atendido. Isso porque as pessoas tendem a contar suas experiências e quando são negativas, a tendência é que isso seja ainda mais compartilhado, gerando uma divulgação muito grande.

Para que a empresa seja referência em bom atendimento é fundamental que este seja um valor conhecido por todos os funcionários, pois não adianta apenas o empresário ter esse pensamento ou um cliente ser bem atendido na hora da venda e se frustrar no caixa, por exemplo.

A satisfação do cliente está diretamente relacionada ao bom atendimento. Porém, às vezes, o cliente é pego de surpresa por algum dos sete pecados do atendimento. Veja quais são e fique atento para não cometê-los:

  1. Desinteresse: Ocorre quando os funcionários de uma empresa não demonstram que se importam com o cliente. Muitos se sentem frustrados por não receberem ajuda quando precisam e percebem que há um desinteresse pela opinião do cliente.
  2. Frieza: O cliente é tratado de forma distante e até desagradável. É perceptível quando o atendimento é feito de forma fria, gerando uma grande insatisfação por parte do cliente.
  3. Sufocamento: Alguns funcionários parecem querer ajudar tanto que acabam pecando pelo excesso. Ficar perguntando o tempo todo, falar que está bonito sem ter sido perguntado ou falar que tem uma peça linda podem incomodar o cliente. O ideal é se colocar à disposição e ficar atento a qualquer solicitação.
  4. Informações demais: Antes mesmo de o cliente terminar de falar, ou explicar o que quer, o funcionário interfere e começa a dar respostas para perguntas que não foram feitas obrigando o cliente a ouvir soluções que não lhe interessam. Este tipo de profissional faz do conhecimento técnico uma arma e gosta de ostentar capacidade querendo mostrar que entende do assunto, às vezes, até inibindo o cliente.
  5. Robotismo: O funcionário deixa de agir como uma pessoa e passa a agir de forma mecânica, repetindo sempre a mesma coisa, da mesma maneira, com os mesmos movimentos.
  6. Demasiado apego às normas: Acontece com o funcionário inflexível, que diz: “sinto muito, mas não podemos fugir das regras”. Nesse caso, é importante que o empresário oriente seus funcionários, explicando sobre a importância de atender o cliente da melhor forma possível, com o objetivo de agradar os clientes.
  7. Jogo de responsabilidade: A síndrome do “vai-para-lá-e-vem-para-cá”. Há pessoas que, para se livrarem do cliente, mandam-no de um lugar para outro, sem resolver seu problema. Os funcionários precisam aprender a abraçar a responsabilidade e apresentar as soluções para os clientes, que não querem e muitas vezes não entendem quais as responsabilidades de cada um, ele simplesmente quer ver seu problema resolvido, independente de quem o fizer.

Muitas vezes, esses pecados de atendimento acontecem de forma inconsciente. São uma espécie de “armadilha” em que o atendente “cai” sem perceber. É importante ficar todo o tempo concentrado no atendimento para evitar esses pecados.

É importante prestar mais atenção ainda nos dias em que problemas pessoais ou questões motivacionais possam afetar o desempenho do seu atendimento, pois são nesses dias que essas “armadilhas” podem acontecer com maior frequência.


Confira nosso último post sobre “Como está o desempenho do seu e-commerce?” aqui.

Como está o desempenho do seu e-commerce?

www.unsplash.com

O e-commerce tem sido uma alternativa muito utilizada pelos clientes que pretendem economizar. Além de oferecer preços mais baixos e comodidade, este canal de vendas funciona 24 horas por dia e chega às residências de quase todo o Brasil e até mesmo do mundo. Para os empresários, o mercado online abre uma janela de oportunidades, mas o caminho a ser percorrido até o sucesso não é tão simples.

Este canal funciona como uma metrópole, onde encontramos grandes magazines, lojas de médio e pequeno porte, em meio a uma constante disputa, em busca da atenção dos consumidores. Se destacar no mercado online não é uma tarefa fácil e exige planejamento, comprometimento e ação.

Para auxiliar os empresários, o Sebrae realizou uma análise de fatores-chave de sucesso no e-commerce. Esses fatores correspondem aos itens mais sensíveis ao sucesso ou fracassos de um varejo online.

Entre tantos temas de gestão e mercado que existem foi constatado a importância de observar alguns considerados mais críticos. São eles: Segmentação, Promoção, Marketing de Relacionamento, Mobilidade, Tempo de Carregamento; Otimização de buscas; Preço; Prazo; Métricas e Comunicação Visual.

Segmentação: No e-commerce, como em outras áreas dos negócios online, ter um conhecimento profundo do público-alvo que se deseja atingir é essencial para diversos aspectos da operação como a definição do mix de produtos oferecidos e também na estratégia de marketing online a ser adotada.

Promoção: É fundamental ter um bom planejamento para conseguir promover o seu negócio em meio à concorrência tão grande, já que a concorrência do e-commerce abrange o mundo inteiro.

Marketing de Relacionamento: Atrair, manter e aumentar o relacionamento com os clientes é um diferencial que pode melhorar o posicionamento corporativo das empresas frente aos diversos nichos e segmentos.

Mobilidade: Cada vez mais as pessoas acessam a internet de smartphones e tablets, sendo fundamental garantir a mobilidade do e-commerce. Novos formatos de venda baseados na localização e na facilidade da informação propiciam agilidade na tomada de decisão e na concretização dos negócios.

Tempo de carregamento: Mundo virtual é sinônimo de velocidade. Quem acessa a internet quer agilidade na navegação e na busca por informação. A lentidão pode gerar frustração no cliente virtual que busca justamente praticidade nas compras online.

Otimização de buscas: Pensar em uma loja virtual de sucesso sem um bom posicionamento nas páginas de respostas dos grandes buscadores é algo difícil, afinal sites de buscas são muitas vezes o primeiro porto de escala para qualquer consumidor online.

Preço: Uma das grandes dificuldades em um e-commerce é saber se posicionar em relação ao preço. As variáveis frete, custos operacionais e de produto ganham novos personagens, como custo da plataforma e-commerce, marketing digital e disponibilidade do produto e demanda.

Prazo: A logística representa um grande desafio para todo e-commerce, independente do seu tamanho. O relacionamento com seu cliente vai enfraquecer caso você deixe de entregar o pedido, não entregue no prazo ou faça o envio errado do produto ou demore para atender na logística reversa.

Métricas: As métricas de desempenho são dados que ajudam a medir e determinar o sucesso de um e-commerce, como a taxa de conversão, número de visitas e tempo médio de acesso, por exemplo.

Comunicação Visual: Ao contrário do que muitos empreendedores imaginam, a comunicação visual de uma loja virtual vai além de aparência e estética. A estruturação do layout, as ferramentas de navegação, usabilidade e as formas de apresentação dos produtos da loja definirão toda a experiência visual do usuário, que deve ser favorável a venda dos produtos, além de ter um peso considerável na demonstração de credibilidade da marca para o cliente.


Se você já possui um e-commerce, que tal receber, gratuitamente, um relatório personalizado sobre o desempenho da sua loja virtual levando em consideração esses 10 fatores-chaves identificados pelo Sebrae?

Para isso, basta responder um questionário de 10 perguntas de múltipla escolha para conhecer a sua performance em cada um desses fatores e receber o relatório personalizado. Acesse http://www.sebraemercados.com.br/e-commerce/ e confira!


Já leu nosso último post ‘Você é empreendedor’? Confira aqui!