Como formalizar meu negócio?

Se você já trabalha por conta própria, mas ainda não se formalizou, saiba que as vantagens da formalização são muitas e podem ajudar a alavancar seu negócio. Você passará a ter direitos beneficiário e também poderá emitir notas fiscais. Com isso, poderá vender seus produtos/serviços para empresas e até mesmo para o governo.Mas, afinal, como funciona a formalização?

Estamos falando aqui em um negócio relativamente pequeno, onde você fature até R$ 60 mil por ano. Pode ser, por exemplo, uma loja de roupa, um salão de beleza, um carrinho de cachorro-quente, um fotógrafo. Enfim, são mais de 450 atividades em que você pode se registrar, sendo uma ocupação principal e até 15 secundárias.

Você, porém, não pode ser titular ou sócio de nenhuma outra empresa e poderá ter, no máximo, um funcionário, com salário mínimo ou piso da categoria.

Quais as vantagens da formalização?

Ao se formalizar nas condições que estamos apresentando aqui, você se tornará um MEI, ou seja, um Microempreendedor Individual, dono do seu próprio negócio.

Com isso você terá direito aos benefícios previdenciários, como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, entre outros.

Você também terá um CNPJ e com isso poderá emitir nota fiscal, vender ou prestar serviços para o governo e ter acesso mais fácil a empréstimos e abertura de contas bancárias.

E qual o custo para ser um MEI?

Como Microempreendedor Individual você pagará impostos de forma reduzida. Será apenas um valor fixo mensal. Atualmente você pagará R$ 46,85 (relativo ao INSS) acrescido de R$ 5,00 (relativo ao ISS – para Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (relativo ao ICMS – para Comércio e Indústria).

Este valor mensal deverá ser pago mensalmente por meio do DAS (o Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que deverá ser emitido através do Portal do Empreendedor.

Quais meus deveres como MEI?

Ao se formalizar você deverá ficar atento para pagar em dia as suas contribuições por meio do DAS. O pagamento poderá ser feito por débito automático, pagamento online ou na rede bancária e casas lotéricas, até o dia 20 de cada mês.

Você também deverá ficar atento para, todo ano, declarar o valor do faturamento do ano anterior por meio da Declaração Anual do Simples Nacional – DASN (ou Declaração Anual Simplificada). Ela é bem simples e poderá ser preenchida por você mesmo, até o último dia de maio de cada ano, no Portal do Empreendedor.

Como faço a minha formalização?

Para se formalizar é bem fácil e rápido. Você deve acessar o Portal do Empreendedor e inserir o número do seu CPF e a data de nascimento.

Depois, insira o número do Título de Eleitor ou o número do recibo da declaração de Imposto de Renda dos últimos dois anos. Digite os caracteres solicitados e preencha o formulário com os dados solicitados.

Você receberá um código por SMS no telefone celular cadastrado, que será utilizado para confirmar o processo de abertura. Quando isso acontecer, insira o código recebido e confirme a inscrição. Pronto!

Caso você não queira fazer sua formalização sozinho, tiver algum receio ou ainda tiver alguma dúvida, pode ir a uma unidade do Sebrae mais próxima e receber esse atendimento, gratuitamente.

O curso à distância “Microempreendedor Individual” também pode te deixar bem informado sobre tudo o que é preciso saber para se formalizar: direitos, benefícios, obrigações e orientações para aumentar os lucros, conquistar mais clientes e até contratar um funcionário. Ele é gratuito e você pode fazer na hora que quiser.

Continuar a ler “Como formalizar meu negócio?”

5 erros que devem ser evitados ao comprar uma franquia

Freepik.com

Comprar uma franquia tem sido a opção de muitos empreendedores. Isso porque esse modelo de negócio já vem testado e possui um registro histórico dos resultados anteriores, além de todo apoio que a franqueada oferece. Se você tem pensado em adquirir uma franquia fique atento, pois apesar de todas as vantagens, é preciso tomar alguns cuidados para evitar problemas com essa opção.

Há muitos detalhes importantes que você deve levar em conta antes de adquirir uma franquia e também durante a operação da mesma para não cometer erros comuns, como os relacionados a questões jurídicas, ao entendimento do mercado e ao relacionamento com outros empreendedores. O site da Inc. listou cinco erros que o franqueado não pode cometer. Confira e evite dores de cabeça:

1. Não entender o mercado ou não fazer uma pesquisa aprofundada

Você deve fazer sua escolha pensando no mercado e não apenas seguir uma moda ou uma paixão pessoal. É preciso identificar a necessidade do mercado e se você terá ou não uma base de clientes. Considere se esse tipo de produto ou serviço vende bem e se a localização será um fator importante. Será que o mercado pode mudar logo? Realizar um Plano de Negócios pode ser importante neste momento, onde você identificará mercado, público-alvo, concorrentes, entre outros itens fundamentais.

2. Não conversar com outros franqueados da marca que você está avaliando

Muitas pessoas compram uma franquia após terem conversado com conhecidos (família, amigos, advogados, funcionários), mas se esquecem do grupo mais importante: os empresários que já têm uma unidade daquela marca. São eles que conhecem o negócio melhor que todo mundo e têm insights valiosos sobre estar à frente daquela loja. Sabem como é o dia a dia, o mercado e o comportamento do cliente e podem ajudar o candidato a tomar uma decisão melhor.

3. Achar que você poderá manter a sua independência

Diversos empreendedores entram no franchising porque querem ser seus próprios chefes. Mas essa não é a realidade. Os franqueadores precisam confiar nos seus franqueados. Como empreendedor, você terá de domar a sua independência. Lembre-se de que o franqueador conhece o sistema melhor que você (pelo menos enquanto a sua loja estiver começando). Se isso não parecer adequado para você, considere se a franquia realmente é o melhor caminho.

4. Não aprender a implementar o sistema de franquias

Como franqueado, seu trabalho não é reinventar o sistema: é seguir o sistema. Você precisa aprender os detalhes da operação e seguir os programas de treinamento. É importante que o franqueado tenha um plano de ação documentado e invista tempo para aprender sobre o funcionamento da loja.

5. Colocar o carro na frente dos bois

Aprenda a implantar o negócio antes de se aventurar com a abertura de várias lojas. Os franqueadores querem ver o sucesso de uma unidade antes que o franqueado abra a segunda — ou a décima. Mergulhe em um conceito de franquia antes de pensar nos próximos.

Se você está pensando em adquirir uma franquia, considere esses cinco itens, busque mais informações sobre o sistema franchising, procure se informar sobre os pontos negativos que existem também, pois você pode estar tão empolgado com essa decisão que só enxergue ou escute as vantagens. Conhecer o que pode dar errado é importante para que você possa evitar ou, pelo menos, saber o que fazer no momento.

Em alguns posts atrás publicamos algumas opções de franquia para trabalhar de casa. Pode ser uma inspiração para você.


Já leu nosso último post “7 motivos para se tornar um MEI”? Confira aqui.