Como calcular meu pró-labore?

Como calcular meu pró-labore?

moedas empilhadas

Ao contrário do que muitos pensam, abrir uma empresa não significa que você vai poder retirar dinheiro na quantidade e na hora que preferir. O empreendedor, assim como os funcionários de sua empresa, recebe um pagamento por seu trabalho. Esse pagamento é conhecido como pró-labore.

Entender o que é o pró-labore e como ele deve ser calculado é importante para preservar a saúde financeira do negócio. Nesse post, você vai aprender, de maneira rápida, a estabelecer quanto deve ganhar pelo seu trabalho. Vamos começar?

O que é pró-labore?

O termo “pró-labore” vem do latim, e significa “pelo trabalho”. É o nome dado à remuneração do empreendedor ou dos sócios da empresa. Porém, para ter direito ao pró-labore, é preciso que você desempenhe algum papel administrativo no dia a dia da empresa; sócios que apenas contribuem com capital recebem somente lucros e dividendos.

Além desse detalhe, o pró-labore não pode ser chamado de salário, porque não segue as mesmas regras que orientam a remuneração dos funcionários. Por exemplo, o pró-labore não inclui obrigatoriamente direito a benefícios como 13º salário ou férias.

Além disso, o pró-labore também é tratado de maneira diferente no que se refere à contabilidade. Ele é registrado como despesa operacional e está sujeito a impostos diferenciados. 

calculadora  e moedas

Como calcular meu pró-labore

A primeira coisa que você precisa saber é que não existe uma fórmula padrão para determinar o pró-labore. Porém, existem algumas medidas simples que podem ser tomadas para chegar a um valor adequado. Confira:

Simular a retirada nas projeções financeiras

A primeira medida é realizar projeções financeiras do desempenho do seu negócio, incluindo nelas a retirada do pró-labore e, ainda, o IR e o INSS que incorrem sobre ele. Assim, é possível perceber qual será seu impacto sobre o fechamento de contas, e essa percepção pode ser útil para definir um valor coerente, que não vai canibalizar a sustentabilidade do negócio.

Considerar o objetivo do negócio

Ao final de cada período, chega a hora de retirar o pró-labore, a distribuição de lucro para os sócios e, ainda, reservar o valor que será reinvestido na empresa, para o seu crescimento. Observe como esses três elementos estão interligados: um pró-labore e uma distribuição de lucros mais elevados podem implicar em um valor de reinvestimento mais limitado.

Nós não estamos dizendo que você não pode, ou não deve, priorizar o pró-labore. Porém, essa decisão deve levar em conta os objetivos do negócio e, em última instância, os objetivos dos empreendedores por trás dele. A questão é: o que é mais importante — os benefícios imediatos ou os benefícios em longo prazo?

Avaliar alternativas flexíveis

Outro ponto importante é considerar alternativas à retirada do pró-labore. Por exemplo, que tal definir um pró-labore mais modesto, e retirar a diferença a título de distribuição de lucro? Fazendo isso, o impacto da sua remuneração nas contas da empresa é menor, porque não incide tributação de IR e INSS sobre a distribuição de lucro. 

Esta é uma “manobra” financeira inteligente. A única recomendação, para que ela dê certo, é que você não pode se esquecer de discriminar adequadamente o que é pró-labore e o que é distribuição de lucro, nos relatórios contábeis.

Realizar a formalização

Não basta definir o pró-labore. É preciso formalizar o valor definido, o que pode ser feito no Contrato Social da empresa (documento usado na formalização do negócio). 

As consequências de não definir um pró-labore

Se você não dedicar algum tempo à definição do pró-labore, pode colocar a empresa em uma situação complicada, com graves consequências. E não estamos falando apenas de questões fiscais ou contábeis.

A consequência mais direta, que inclusive já foi mencionada neste post, é que a não existência de pró-labore fixado é um incentivo para que o empreendedor ou sócio receba valores conforme a sua conveniência pessoal, sem priorizar a saúde financeira do negócio. Isso é ainda mais comum no caso de micro e pequenas empresas, em que não há um controle rígido sobre as retiradas de dinheiro. Não se trata de má-fé, mas de falta de controle.

E não se esqueça de que, quando o pró-labore não é definido de maneira oficial, isso também pode causar um problema para o próprio empreendedor. Afinal de contas, todos precisam ter segurança em relação a quanto vão receber no final do mês. A fixação do valor permite que você tenha uma garantia para planejar suas finanças pessoais.

punhos fechados de diversos executivos se tocando

Finalmente, uma das consequências mais graves da ausência de pró-labore fixado é o efeito que ele pode ter sobre os funcionários que trabalham com você. Se eles tiverem a impressão de que o empreendedor coloca seu bem-estar financeiro acima da empresa, eles podem perder a confiança na sua gestão e a motivação para trabalhar. Portanto, o pró-labore acaba sendo uma maneira indireta de reafirmar seu caráter profissional e manter sua equipe coesa.

O caso do MEI

O MEI é um tipo de enquadramento em que existe mais abertura para o empreendedor retirar dinheiro das suas atividades livremente, sem estabelecer um pró-labore. Afinal, como MEI, você trabalha sozinho ou, no máximo, com um funcionário. O controle contábil e financeiro, na maioria dos casos, é você mesmo quem faz. Não existe Contrato Social.

Mesmo assim, é aconselhável estabelecer um pró-labore. Assim, você pode ter a certeza de que não vai retirar para si uma parcela das receitas que deveria ser usada para pagar as despesas do negócio ou para reinvestir e crescer. 

Nossa conclusão é clara: estabelecer o pró-labore da maneira correta pode não ser um processo tão simples, mas é absolutamente necessário. E, se você ainda tiver dúvidas sobre como fazer isso, a melhor solução é buscar mais informações — por exemplo, em um curso de gestão financeira.

Não conhece nenhum curso do tipo? Então acesse as soluções à distância oferecidas pelo Sebrae ES. Lá você encontra cursos, vídeos e outros conteúdos sobre finança para te ajudar na gestão do seu negócio. 

Comentários

  • Avatar

    Douglas | Jul 30,2018

    Muito bom essas informações . Gostei. Parabens…

    • sebraees

      sebraees | Ago 6,2018

      Que bom que gostou, Douglas! Valeu!

  • Avatar

    Patricia Souza Furtado | Jul 30,2018

    Amei a orientação, tenho uma consultora financeira que tem me orientado, mas ouvir uma segunda pessoa reafirmando é ainda melhor.

    • sebraees

      sebraees | Ago 6,2018

      Legal, Patrícia! Continue nos acompanhando por aqui, estamos sempre trazendo assuntos para atualizar e dar uma força ao empreendedor! 😉

  • Avatar

    Eliane Vargas de Araújo | Ago 14,2018

    Boa noite!
    Mt bom esses esclarecimentos, chegou em boa hora. Estou satisfeita e agradecida.

    • sebraees

      sebraees | Ago 21,2018

      Olá, Eliane! Ficamos muito felizes com seu feedback e saber que nosso post foi útil. Toda semana divulgamos conteúdos novos por aqui, fique ligadinha! E caso tenha alguma sugestão de tema a ser abordado, pode nos enviar também!

  • Avatar

    Çuiz A ;vieira | Ago 26,2018

    Lega! Eu não sabia a origem do termo. Ajudou-me muito valeu!

    • sebraees

      sebraees | Set 25,2018

      Que bom! Ficamos muito felizes em saber que fomos úteis! Conte sempre com o Sebrae.

  • Avatar

    jetro da costa de santana | Abr 30,2019

    Bom dia, é bom divulgar o tema para os novos empresários e orientá-los sobre a importância desde a abertura da empresa de se ter um valor pré definido para retirada , que visa não só controlar os gastos pessoais .Para aqueles que migraram do setor produtivo com carteira assinada , quando fazemos a contabilização do pró-labore estamos também contando pontos para aposentadoria . Quando abri a minha empresa não fazia pró labore fiz uma senha no meu inss.gov.br para saber quando iria ter direito a aposentadoria verifiquei que fiquei atrasado os 03 anos que não contribuí para previdência, se tivesse feito o pró-labore não perderia o tempo que fiquei sem contribuir .

    • Sebrae ES

      Sebrae ES | Abr 30,2019

      Jetro, obrigada pela contribuição. Conhecimento é poder, né?! Que bom que hoje sabe da importância de organizar as finanças para alcançar o resultado almejado. Conte conosco nessa trajetória! Abraços

  • Avatar

    Cristine Z. Serafim | Jan 15,2020

    Muito bom esses esclarecimentos! Agradeço a linguagem mais acessível e descomplicada, sem deixar de comunicar o que é importante!

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *







    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.