6 Passos para iniciar um planejamento financeiro agora!

6 Passos para iniciar um planejamento financeiro agora!

Confira 7 passos para iniciar um planejamento financeiro para o seu negócio

Iniciar um planejamento financeiro pode ser mais simples do que você pensa. Com as ferramentas e metodologia certas, além de uma boa organização, é possível elevar a gestão de seu negócio a um novo patamar e, com isso, lucrar mais.

Pensando em te ajudar nessa missão, organizamos este artigo que traz seis passos para iniciar um planejamento financeiro para o seu negócio. Falaremos sobre como dimensionar custos e receitas, projetar metas e cenários, realizar a precificação correta de seus produtos e serviço, e muito mais. Confira!

1. Analise para qualificar

Nós podemos resumir o primeiro passo para iniciar um planejamento financeiro para o seu negócio a partir da seguinte máxima: “analise para qualificar”. Você sabe o que isso significa?

Basicamente, estamos chamando a atenção para a necessidade de se obter um diagnóstico situacional das finanças de seu negócio. Afinal, só podemos mudar aquilo que conhecemos, não é mesmo?

Para o cumprimento deste objetivo, é interessante levantar informações como:

  • endividamento de curto, médio e longo prazo;
  • capacidade de investimento;
  • estimativas de receitas e despesas para o período de referência de seu planejamento (ex.: 6 meses ou 1 ano);
  • cronograma de obrigações tributárias.

2. Mantenha registros fieis de toda movimentação financeira

Para iniciar um planejamento financeiro, é indispensável manter um registro fiel de toda movimentação financeira de seu negócio. Se possível, é interessante contar com um software de gestão no qual você possa reunir informações a respeito de contas a pagar e a receber, cadastro de fornecedores e registros contábeis.

Essas ferramentas, geralmente, contam com funcionalidades interessantes para melhor gerenciamento das informações, como criação de gráficos e relatórios. Para quem deseja ter um acompanhamento preciso de tudo o que se passa em seu negócio e planejar suas ações, é muito importante contar com esse tipo de ferramenta.

Ao mesmo tempo, se o investimento em uma ferramenta como essa estiver fora de seu orçamento ou ainda não seja encarado como uma prioridade, não se preocupe. Um bom controle também pode ser mantido por meio de planilhas e organizadores de tarefas.

3. Dimensione custos e receitas

Dimensione custos e receitas

Antes de iniciar um planejamento financeiro, também é importante se trabalhar com dimensionamento de custos e receitas. Essa é uma forma de estimar entradas e saídas em seu caixa durante um período de referência (ex.: 6 meses ou 1 ano) e, com isso, obter um nível de previsibilidade que permita um melhor planejamento das ações.

Se você já faz o controle e acompanhamento dos registros financeiros de seu negócio, conforme sugerido no tópico anterior, certamente você já sabe, pelo menos de forma aproximada, qual é a expectativa de receitas e despesas para o ano seguinte. Essa análise deve ser refinada com uma previsão do que acontecerá no período ao qual o planejamento se refere.

Caso o período em questão seja o ano de 2022, por exemplo, os gestores do negócio deverão identificar o que acontecerá em caráter “extraordinário” em relação ao ano anterior. Existe a expectativa de aquisição de máquinas e equipamentos? Haverá contratação de mais funcionários? Alguma ação de marketing e vendas demandará mais recursos que o comum? Qual será a expectativa de receitas?

Ao final, todas essas categorias podem ser classificadas como centros de custos ou receitas. Exemplo:

Classificação de despesas

  • investimentos: custos de investimento em máquinas, equipamentos, mobiliário, benfeitorias na sede da empresa, etc.
  • folha de pessoal: despesas com pessoal e encargos trabalhistas;
  • gastos recorrentes: despesa com aluguéis, aquisição de insumos, manutenção predial, entre outros.

Classificação de receitas

  • vendas: receita decorrente de vendas;
  • aplicações financeiras: receita obtida com aplicações financeiras;
  • bens de capital: receita obtida com a venda de bens móveis.

Após classificar receitas e despesas nesses parâmetros, você terá um panorama completo sobre a origem e destinação dos recursos de seu orçamento. Ao final do ano, você poderá fazer uma avaliação do que foi planejado e o que pôde ser executado durante o período, de modo que você consiga observar pontos críticos de sucesso e o que precisa ser melhorado.

4. Trabalhe com diferentes cenários

Todo planejamento financeiro deve trazer diferentes cenários em suas projeções. Ao se projetar receitas, principalmente, deve-se ter em vista o que se costuma chamar de: cenário pessimista, otimista e regular.

A formulação desses três cenários deve ser embasada em informações referentes à gestão. Imagine, como exemplo, que no próximo ano a emprese deseja lançar um novo produto.

Se este produto tiver uma boa aceitação no mercado, impulsionando as vendas da empresa, teremos um cenário positivo. Caso a expectativa de vendas seja parcialmente frustrada, o cenário sinalizado será regular, e assim sucessivamente.

É claro que outras variáveis também deverão ser levadas em conta ao se iniciar um planejamento financeiro. Tudo dependerá da complexidade da operação de seu negócio e dos riscos e oportunidades identificados pela gestão.

5. Estipule metas

Estipule metas em seu planejamento financeiro

Não é possível iniciar um planejamento financeiro sem se pensar em metas. Esses objetivos orientam a organização do trabalho da gestão, à medida que servem de referenciais para a formulação e a execução das ações.

Para quem tem certa dificuldade para visualizar essas metas, trouxemos alguns exemplos factíveis. Vamos a eles:

  • Encerrar o ano sem endividamento a longo prazo;
  • Regularizar situação fiscal da empresa;
  • Aumentar o faturamento em 20%;
  • Dobrar o número de clientes ativos;
  • Reduzir custo variável em 5%;
  • Abrir uma filial;
  • Lançar um novo produto no mercado;
  • Elevar a participação no mercado em 10%.

Embora tenhamos listado diversos exemplos de metas que podem constar em um planejamento financeiro, é preciso ter parcimônia. Isto é: menos é mais. O interessante é trabalhar com no máximo cinco metas. Mais que isso pode levar a dispersão de esforços e recursos, comprometendo o desempenho do negócio.

6. Considere contratar uma consultoria especializada

Como vimos até aqui, muitas etapas devem ser cumpridas para se iniciar um planejamento financeiro. Algumas delas estão associadas a atividades relativamente simples, que podem ser facilmente realizadas no âmbito de seu negócio, com os recursos e conhecimento que você dispõe.

Por outro lado, algumas atividades contam com um nível de maior complexidade e merecem ser conduzidas ou orientadas por quem já tem algum know-how na área. Como você já sabe, o Sebrae-ES e seus especialistas podem ajudar nesse trabalho.

Com diversos cursos, formações e consultorias para micro e pequenas empresas, podemos te auxiliar de diferentes maneiras na elaboração do planejamento financeiro e em outras frentes de seu negócio. Acesse a nossa loja virtual e conheça as nossas soluções.

E para acessar mais dicas e iniciar seu planejamento financeiro, confira este artigo de nosso blog: “Quer promover o crescimento empresarial? Saiba como fazer sua empresa crescer!”.

Comments

  • Avatar

    Carlos Alberto | Mai 17,2021

    faço tudo isso e assim mantenho bem o controle da empresa. Só falta dar meta para mim pois faço o comercial da empresa então tenho que ter uma meta para puxar todos os demais. Falta de hábito rs mas sei que é necessário e importante

    • Sebrae ES

      Sebrae ES | Mai 27,2021

      Que legal, Carlos Alberto! Obrigada por nos contar! Estamos aqui para te apoiar em sua jornada empreendedora!

  • Leave a Reply

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *







    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.