Como empreender usando o 13° salário

http://www.thinkstock.com/

O fim de ano está chegando e, com ele, o tão esperado 13º salário. É um dinheiro muito aguardado e os planos são diversos: pagar dívidas, adquirir algo que quer muito, fazer as compras de Natal, guardar na poupança… E por que não empreender? É isso mesmo. Se seu sonho é se tornar dono do próprio negócio saiba que é possível fazer isso com o salário adicional de fim de ano.

O consultor do Sebrae SP Wagner Paludetto falou com o Pequenas Empresas & Grandes Negócios, dando orientações para quem pretende empreender. Segundo ele para isso é fundamental ter um planejamento bastante estruturado.

Confira alguns pontos essenciais que precisam ser levados em conta ao usar o 13º para abrir um negócio:

1. Veja se realmente vale a pena

Antes de tudo, para o consultor, pessoas endividadas devem adiar o sonho de empreender. “É altamente improvável que alguém com dívidas tenha condições de pagar o que deve, estruturar um negócio e prosperar. Nossa orientação é que o interessado em empreender se organize financeiramente e, após isso, planeje a abertura do próprio negócio”, afirma ele.

Se a pessoa não estiver confiante o suficiente para empreender ainda, Paludetto aconselha que o 13° seja realocado para algum tipo de investimento. “Nem precisa ser nada complexo. Colocar o dinheiro no tesouro direto ou no CDB fará seu dinheiro render. Dependendo do perfil do empreendedor em potencial, investir pode ser o melhor caminho”, diz Paludetto.

2. Planeje

De acordo com o consultor do Sebrae SP, o planejamento é um recurso importante para quem empreende, especialmente quem tem recursos escassos. “Deve-se primeiro tirar as ideias da cabeça e pensar em ideias de negócio. Depois, a dica é escolher uma área que o empreendedor já domina, o que pode aumentar as chances de sucesso.”

Com o negócio escolhido, o empreendedor deve pensar no objetivo que almeja em sua empreitada. “A recomendação é que o empreendedor veja, a partir de suas condições financeiras, aonde quer chegar, sem dar passos maiores que a perna. Se o dinheiro não der, vale diminuir as metas ou mudar de área”, diz Paludetto.

3. Conte com o apoio de sua família

Se alguém recebe o 13° e quer abrir um negócio, espera-se, pelo menos na maioria dos casos, que o empreendedor conciliará seu emprego a essa atividade paralela. Por isso, é importante relembrar que essa “jornada dupla” vai afetar a rotina.

Um dos maiores impactos será sentido pela família do empreendedor. “O tempo passado com a família pode ser usado na gestão do negócio. É importante contar com a compreensão e com o apoio das pessoas queridas nestes momentos”, afirma Paludetto.

4. Tenha muita disciplina financeira

Paludetto diz que um dos segredos para multiplicar ganhos em um negócio com pouco dinheiro é reinvestir o máximo possível dos lucros na empresa. “Para crescer, é preciso ter recursos. Tire o mínimo possível dos lucros da sua empresa. Use o que faturou para comprar mais produtos”, diz.

5. Fuja dos bancos

Falando em finanças, Paludetto afirma que o ideal é não pedir ajuda a bancos no começo de uma empresa criada com o dinheiro do 13°. “O empréstimo traz um peso muito grande para um empreendedor iniciante. Por isso é bom planejar”.

Se realmente for preciso buscar dinheiro, o consultor recomenda que o empreendedor venda ou penhore algum bem. “Assim, não haverá juros. Ninguém irá cobrar o empreendedor”, diz.

Como você percebeu o planejamento é fundamental para que os resultados do seu investimento sejam positivos. Pense bem na decisão que vai tomar, busque mais informações sobre o ramo em que pretende atuar, procure instituições especialistas em empreendedorismo que possam oferecer capacitações e apoio para este momento tão importante e transforme 2017 no seu ano.


Já leu nosso último post “A importância do Feedback nas empresas”? Confira aqui.

A importância do Feedback nas empresas

www.pexels.com.br

Você já parou para pensar o quanto o feedback pode ser importante na sua empresa. Pois é, ele pode ser muito mais valioso do que você imagina. No blog de hoje convidamos você, empresário, a pensar sobre o feedback que envolve sua empresa e, muitas vezes, não chega ao seu conhecimento. Caso não saiba o significado, feedback é o retorno positivo ou negativo, que o receptor dá ao emissor. No seu caso, seria a opinião dos seus clientes sobre a qualidade no atendimento, nos produtos ou serviços e nos preços.

Mas por que esse retorno é tão importante? Porque é como seus clientes enxergam o seu negócio e a imagem que eles podem estar passando para outros potenciais clientes.

Ao ouvir seu público, você passa a ter informações que podem lhe ajudar a gerir melhor o seu negócio. Por exemplo, se souber que seu novo produto não esta agradando a maioria da sua clientela, você pode pensar em algo que mude esse quadro. Porém sem o feedback você poderia não perceber com tanta clareza ou com tanta rapidez esse “problema”, que talvez tenha solução rápida e fácil.

Quando você está aberto para receber um retorno dos seus clientes, é possível resolver situações que estejam atrapalhando o bom andamento das suas vendas ou prestação de serviços.

Tipos de feedback

Aqui vamos abordar dois tipos importantes de feedback: o positivo e o negativo. O positivo é o retorno de seus clientes satisfeitos. Assim você descobre o que tem agradado o seu público e pode realizar a manutenção desse serviço já que ele é um ponto positivo ao seu negócio.

Já o feedback negativo são as reclamações que os clientes têm de sua empresa. Ninguém gosta de receber criticas, mas se você transformar essas críticas em sugestões, o retorno negativo pode se tornar algo positivo, pois sabendo o que não agrada seu cliente você pode tomar providências e realizar mudanças com o objetivo de deixar seu público-alvo satisfeito.

Ouvir opiniões, reclamações, sugestões dos seus clientes é muito importante para o crescimento da sua empresa. Mas você não pode deixar de escutar também os seus funcionários, afinal são eles que estão em contato direto com o público-alvo, eles representam a empresa e precisam se sentir bem no local de trabalho para que o bom atendimento seja realmente realizado.

Se você não tem essa prática dentro do seu negócio, implantar essas mudanças pode ser um desafio. Pergunte a eles como tem sido os dias de trabalho; qual o retorno que os clientes têm dado; pergunte se mudariam algo na empresa.

Dicas

Uma saída é implantar algumas ferramentas simples que estimulem a participação e interação da equipe. Uma caixa de sugestões ou um grupo de e-mail podem ser o ponto de partida. Você pode premiar as melhores ideias e sugestões implementadas e divulgá-las nos meios de comunicação interna. Isso servirá de estímulo para a participação de outras pessoas.

Realizar pesquisas internas também é uma boa forma de começar um diálogo com os colaboradores. As pesquisas podem ter temas variados desde a satisfação com os serviços internos, política de remuneração ou lançamentos de produtos e serviços.

Eventos de integração, além de motivar, também podem promover a comunicação entre os líderes, suas equipes e os setores que possuem pouco contato. Nesses encontros podem surgir soluções para diversos problemas e muitas ideias. O segredo é sempre estimular a participação e o diálogo e reconhecer aqueles que contribuem de forma positiva. Aos poucos, a cultura empresarial se modifica e a prática do diálogo passa a acontecer naturalmente.

Lembre-se: o mais importante de tudo é estar preparado para receber o retorno. Muitas vezes ele não será positivo e nem será aquilo que você espera. Saiba receber esse feedback da melhor forma, podendo aproveitá-lo. Além disso, busque melhorias para os problemas identificados. Não adianta nada descobrir que algo não anda bem e não fazer nada para mudar, certo?


Já leu nosso último post “7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office”? Confira aqui.

7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office

www.pexels.com

O home office hoje é um dos grandes temas quando o assunto é trabalho do futuro. É um conceito de modelo empresarial que tem sido cada vez mais adotado por muitos empreendedores. Porém para trabalhar em casa é preciso estar motivado, ter um bom planejamento e organização. Afinal, o conforto e outras atividades podem desviar a atenção do trabalho.

Se você é um destes empreendedores que têm essa rotina de trabalhar em casa, saiba que a EXAME.com preparou uma lista com 7 aplicativos que vão facilitar a sua vida. Confira:

Wrike
 O aplicativo de gerenciamento de projetos é uma opção para quem está envolvido em projetos a distância. É possível criar tarefas e mencionar diretamente outros usuários dentro da plataforma e todos os dados podem ser acessados em tempo real. Além disso, o Wrike é integrado com outros programas como o Word e o Google Drive, permitindo o acesso de várias formas. O aplicativo tem versões gratuitas (para até cinco usuários) e assinadas (a partir de US$9,80/mês) e funciona tanto para iOS quanto para Android.

Dropbox
 O aplicativo de armazenamento em nuvem é um clássico entre os usuários. O serviço armazena e compartilha arquivos (fotos, vídeos e documentos) permitindo acessar de vários dispositivos. O Dropbox é uma saída para enviar arquivos de dentro do escritório para casa e suporta pastas mais pesados, diferente dos e-mails convencionais. Está disponível gratuitamente para Android e iOS.

Evernote
 O Evernote é uma versão com mais recursos do tradicional bloco de notas. Com o aplicativo é possível não só fazer anotações digitais como criar lembretes, listas e cadernos específicos e adicionar imagens aos textos. Todos os arquivos produzidos no Evernote podem ser sincronizados de qualquer dispositivo, basta acessar com o login e senhas pessoais. O serviço gratuito está disponível para Android e iOS e também pode ser acessado via desktop. O plano plus permite compartilhamento de mais arquivos e acesso offline e custa R$ 40 por ano.

Asana
 A plataforma permite a criação de projetos em colaboração com outros usuários, além de ter uma interface bem simples de contato com outros membros da equipe. Dentro do aplicativo é possível estabelecer metas, tarefas e estipular prazos. O modelo do aplicativo é dividido em três partes: tarefas para hoje, tarefas que estão por vir e tarefas sem data definida. A ferramenta está disponível para iOS e Android, gratuitamente.

Google Hangouts
O Google Hangouts permite ligações, chats e videoconferências de qualquer lugar, basta estar conectado à internet. O serviço é uma alternativa para as ligações por operadoras de telefonia que cobram pelo serviço. No Hangouts, é possível gravar as conferências em vídeo, o que pode ser muito útil para reuniões. O aplicativo é gratuito para Android e iOS e também pode ser acessado pelo computador.

Parallels Access
O aplicativo permite sincronizar smartphones e tablets para que o usuário possa ter acesso aos arquivos dos dispositivos cadastrados através do aplicativo. É possível, por exemplo, acessar arquivos de um computador através da plataforma. A ferramenta está disponível para Android e iOS e é gratuita para apenas um usuário. Os planos para empresas custam a partir de R$ 310.

Toggl
 A plataforma permite que o usuário controle as horas trabalhadas através da criação de gráficos e da organização das tarefas. Com os registros, é possível saber quais missões tomam mais tempo durante o dia. Há versões gratuitas e corporativas do aplicativo e os planos começam a partir de US$ 10 por mês. O Toggl está disponível para sistemas Android e iOS.

Agora que você conheceu algumas ferramentas que podem auxiliar seu trabalho, veja aquele que poderá ser mais útil para você, baixe agora mesmo e otimize seu tempo, melhorando seus resultados!


Já leu nosso último post “Lucrando com a Black Friday”? Confira aqui.

Lucrando com a Black Friday

www.pexels.com

A Black Friday surgiu como uma data de mega descontos do varejo norte-americano e ganhou o mundo. Incorporada ao calendário brasileiro, o dia é dedicado a promoções e pode ser uma ótima oportunidade para as pequenas empresas destacarem-se no mercado.

No inicio a Black Friday era realizada somente no universo online, o que mudou muito nos últimos anos, trazendo assim a mega promoção também para o espaço físico, gerando mais uma opção a você, empresário, e aos seus consumidores.

De acordo com pesquisa do Google, divulgada no site E-commerce Brasil, o curto período da Black Friday de 2015 foi mais poderoso para alavancar as vendas do que as duas semanas que antecederam o Dias das Mães, tradicionalmente a segunda melhor data do varejo brasileiro.

Segundo a pesquisa, a expectativa é que este ano o resultado também seja positivo, já que, apesar da queda geral no consumo, as vendas vêm crescendo nas datas especiais: aumentaram 8% no Dia das Mães deste ano, 12% no Dia dos Pais e 16% no Dia dos Namorados.

E a participação dos pequenos negócios na Black Friday também tem crescido, pelo menos no comércio eletrônico, segundo pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). As duas instituições concedem, anualmente, um selo promocional para as empresas que se cadastram na promoção e de 2013 para cá, o número de pequenos negócios aderindo cresceu 243%.

E o seu negócio? Também vai participar desta data? A Black Friday deste ano será realizada no dia 25 de novembro. Se você quer participar e lucrar, APROVEITE que ainda dá tempo, CONFIRA as dicas que preparamos abaixo e MÃOS À OBRA!

· Planeje suas vendas para o dia: defina a faixa de descontos que será oferecida para cada categoria de produtos;

· Não crie falsas promoções, tentando enganar o consumidor. Faça boas ofertas, mas ATENÇÃO: oferecer descontos indiscriminadamente poderá colocar em risco a saúde financeira da empresa. Por isso aproveite o tempo que tem e faça um planejamento correto.

· Aproveite para queimar itens de menor giro com essas promoções, mas lembre-se que os itens novos são os que chamam a atenção, então, prepare algo especial para eles também.

· Aproveite a mídia espontânea da Black Friday. É bem provável que acessem seu site/página, visitem seu estabelecimento para saber se você tem alguma oferta;

· Este será um momento importante para aumentar a base de clientes. Não pense somente no lucro desta data específica, pense no potencial de vendas a longo prazo;

· Deixe sua vitrine bem atraente. É fato comprovado: uma vitrine adequada pode aumentar as vendas em até 30%.

· Na loja virtual não ofereça prazos impossíveis de serem cumpridos. Se for necessário, amplie o prazo atual para que possa realizar o que prometer;

· Divulgue as promoções nas redes sociais;

· Treine/capacite sua equipe para atender bem os clientes. Um bom atendimento pode gerar uma boa propaganda “boca a boca”.

· Ofereça meios de pagamentos (sempre mais de uma bandeira de cartão de crédito);

· Deixe o ambiente aconchegante: temperatura, luminosidade e sonorização.

Se você possui um e-commerce também pode aproveitar para participar da campanha Black Friday Legal, da câmara-e.net. O objetivo é criar um ambiente de confiança e promover as boas práticas no e-commerce durante o período da Black Friday. Além de emitir o Selo Black Friday Legal 2016 às empresas participantes do programa, a camara-e.net também capacita as lojas virtuais para que possam se preparar melhor para a data promocional.


Já leu nosso último post “Como gerir uma empresa familiar?”? Confira aqui.

Como gerir uma empresa familiar?

www.visualhunt.com

Gerir esse tipo de negócio significa ter que lidar com as questões emocionais relacionadas à família e, ao mesmo tempo, com a racionalidade. Se você tem uma empresa com um irmão, pai, mãe, primo, tia, saiba que não está sozinho.

No Espírito Santo, isso é bastante comum. Segundo dados do Relatório Especial Sobre Empresas Familiares, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 64% dos pequenos negócios capixabas possuem parentes entre seus sócios ou colaboradores. Com isso, o Espírito Santo está em terceiro lugar nacional no ranking de empresários que trabalham em família.

Ter uma empresa familiar possui diversas vantagens, como o elo de confiança existente; comunicação, muitas vezes, mais fácil e direta e interesses em comum. Segundo a pesquisa Retratos de Família, da consultoria KPMG, realizada em 2015 com empresários, entre os principais pontos fortes de uma organização familiar estão a tomada de decisões rápida e flexível, o foco no core business e a visão de longo prazo.

Porém, existem alguns aspectos que podem ser considerados as fraquezas da administração familiar, como conflitos de interesses entre família e empresa; rivalidades pessoais e planejamento financeiro priorizando a família e depois os negócios.

Resumindo: mesmo quando a formação empresarial dos sócios é consistente, se não houver regras e planejamento dentro da empresa, podem ocorrer situações que afetem negativamente a sobrevivência do negócio.

É preciso que todos na empresa tenham consciência de que a empresa precisa ser independente, que precisa crescer e para isso necessita da geração de lucro que possibilite uma larga evolução. Os envolvidos na gestão precisam unir forças para vencer os conflitos e ainda realizar uma administração coerente, que busque aperfeiçoar os controles administrativos e os recursos humanos, pois são as chaves para se alcançar o sucesso em qualquer gestão.

Para que sua empresa familiar possa prosperar, separamos 6 dicas valiosas:

1. Defina as regras

É bom estabelecer regras claras desde o início, definindo as funções e responsabilidades de todos os envolvidos, conscientizando a todos que são colaboradores e que, portanto, serão cobrados constantemente.

2. Planeje as ações

O planejamento é fundamental e deve ser acompanhado sistematicamente. Construa os valores da empresa juntos, para que todos possam entender aonde a empresa quer chegar, definindo metas e prazos.

3. Conversem sobre o controle financeiro

A empresa deve ser tratada como tal e é preciso que todos tenham consciência de que o dinheiro da empresa não pode ser misturado com as finanças pessoas.

4. Não dê privilégios aos familiares

Trate seus parentes da mesma forma, como trata seus funcionários. Se o seu parente não for cobrado tanto quantos os outros, pode causar mal exemplo e prejudicar a produtividade. Importante também que os salários definidos para cada funcionário seja de acordo com suas competências e não por nível de parentesco.

5. Veja a empresa como uma empresa

Evite tomar decisões em momentos de abalo emocional, não deixe que desentendimentos por assuntos familiares sejam levados para dentro da empresa.

6. Crie um conselho familiar

Para garantir a transparência e ajudar nas definições de critérios e regras, uma boa alternativa é criar um conselho de família, onde os membros se reúnam esporadicamente para discutir, resolver conflitos e também alinhar os objetivos e valores da família com os da empresa.

Evitar conflitos em uma empresa familiar é possível se houver planejamento e esforço por parte dos envolvidos. O segredo está em buscar o máximo comprometimento dos sócios e criar um ambiente de cumplicidade e unidade em torno dos objetivos comuns.


Já leu nosso último post “Redes sociais: aliadas ou vilãs do seu negócio?”? Confira aqui.

Educação à distância — conhecimento a qualquer hora e em qualquer lugar

www.pexels.com

Buscar conhecimento, se atualizar, aprender cada vez mais, são iniciativas que devem ser adotadas por empreendedores que buscam o crescimento de suas empresas. Ao mesmo tempo que a empresa e os lucros crescem, você também precisa se desenvolver, adquirir novas habilidades e competências para administrar seu negócio.

Para melhorar o estabelecimento é importante que você sempre busque orientações para atender bem seus clientes, montar uma boa vitrine, gerenciar seu estoque, cuidar das finanças do negócio, enfim. Mesmo que tenha conhecimento sobre o assunto, é fundamental se manter atualizado, afinal as mudanças têm acontecido cada vez mais rápidas, seja na área da tecnologia, da inovação, o mercado ou mesmo o comportamento dos clientes.

Se você reconhece a importância de se manter atualizado e participar de capacitações, mas está com a agenda lotada, o ensino à distância pode ser uma boa opção. Você pode administrar melhor o seu tempo, escolhendo os horários e locais para estudar. O ensino online difere do presencial pela ausência de contato direto com professores e outros alunos numa sala de aula, mas também cumpre seu papel de transmitir conhecimento.

Diversas instituições já entenderam a importância do ensino à distância e já oferecem capacitações online. O Sebrae, especialista em pequenos negócios, por exemplo, oferece diversos cursos online e gratuitos. As capacitações estão divididas de acordo com o perfil e a necessidade do empreendedor. São cursos voltados para diversos temas como finanças, mercado, inovação, planejamento, pessoas, mercado e venda.

Se você gostou da ideia e pretende adotar o ensino à distância em sua rotina deve ficar atento a algumas orientações, pois apesar de possuir diversas vantagens, é preciso tomar alguns cuidados para que o resultado seja positivo:

Tenha disciplina e organização

É claro que, para obter um resultado satisfatório por meio do ensino à distância, você precisará ter disciplina. Afinal, você não terá aquele compromisso com as aulas de tempo em tempo e poderá estudar apenas no momento em que for conveniente. Se você tem dificuldades em lidar com essa liberdade, é preciso estar atento ou poderá ficar adiando a capacitação dia após dia.

O ideal é preparar uma planilha de estudos, se organizar e cumprir fielmente aquilo que foi estabelecido. Se precisar “faltar” algum dia, faça isso, mas busque manter a disciplina com relação ao resto do seu cronograma. Se ficar sempre adiando a capacitação, você poderá se perder, esquecer o que já estudou e até mesmo desistir de tudo.

Procure um local adequado

Apesar de o ensino à distância possibilitar que você estude em qualquer lugar é importante que você busque um local adequado, que propicie um bom aprendizado. Com a mobilidade tecnológica você pode acessar os cursos onde estiver, mas se é uma pessoa que se dispersa com facilidade, o ideal é procurar um local tranquilo e sem muito barulho. Já quem prefere estudar ouvindo música, por exemplo, o ensino à distância pode ser ideal.

Veja qual é o melhor para você, prepare seu ambiente e dedique-se!

Persevere

Estudar por conta própria pode ser desafiador em diversos momentos, afinal ninguém vai cobrar sua presença e a possibilidade de deixar para depois pode atrapalhar suas atividades. Não deixe que a rotina cansativa tire a sua motivação. Trace metas diárias de estudo e acompanhe sua evolução ao longo dos dias.

Com o avanço da tecnologia, distância, dificuldade de local e horário não são mais desculpas para ficar sem se capacitar. Mas não se esqueça de deixar marcado na agenda aquele compromisso com o seu lazer: seja um passeio com a família, visitar os amigos, brincar com os cachorros, dar uma volta na praia, qualquer atividade que faça você relaxar e se distrair um pouco, afinal, a mente também precisa de um descanso e ninguém é de ferro!


Já leu nosso último post “Os 20 aplicativos gratuitos mais usados por empreendedores”? Confira aqui.

Os 20 aplicativos gratuitos mais usados por empreendedores

www.pexels.com

O dia a dia do empresário é sempre uma correria, afinal, ser dono do próprio negócio requer estar atento 24 horas por dia ao que acontece na empresa. Para facilitar a vida dos empreendedores, diversos aplicativos têm sido criados buscando otimizar a gestão empresarial. E o melhor: todos com versões gratuitas.

Para ajudar os empreendedores que querem ter essas ferramentas de gestão à mão, o site EXAME.com ouviu alguns donos de negócios para saber quais são os aplicativos mais utilizados, desde aqueles para gestão das contas até para cadastro de pedidos ou para comunicação com a equipe.

Os apps indicados possuem formas gratuitas de uso e nas versões pagas, alguns são precificados em dólar e outros, em reais (caso a empresa já tenha operações personalizadas para o Brasil).

Asana

O Asana é um aplicativo voltado para a eficiência. A ideia é que, na mesma plataforma, os donos de negócio consigam ver tarefas e seu andamento e gerir o time por meio de conversas coletivas e privadas, por exemplo. Há uma interface que integra todas as ações descritas.

Ele possui tanto a versão gratuita quanto a versão Premium (8,33 dólares por usuário e por mês). A ferramenta está disponível para desktop, para Android e para iOS.

Aussi

O Aussi é um aplicativo voltado para auxiliar os empresários de pequeno porte: por meio dele, os empreendedores se conectam de forma gratuita e podem solucionar dúvidas entre si.

O app está disponível na versão para Android e para iOS. A versão para desktop será inaugurada em breve.

Imagem: Aussi

Beer or Coffee

O Beer or Coffee é um aplicativo ideal para que os empreendedores possam fazer networking. Por meio da plataforma, é possível encontrar pessoas com interesses similares ao seu e, com poucos cliques, convidá-las para um café ou uma cerveja nos próximos 30 minutos. Dá para aproveitar o momento e criar conexões profissionais.

É uma rede privada: para fazer parte, é necessário ser convidado por outro usuário ou fazer parte dos locais que o Beer or Coffee já atua: o Cubo Coworking, em São Paulo; o San Pedro Valley, em Belo Horizonte; e o Startup Chile, em Santiago (Chile). O aplicativo está disponível para Android e para iOS.

Imagem: Beer or Coffee

Bling

O Bling é um Sistema de gestão online de empresas: por meio dele, é possível organizar notas fiscais, estoques, cadastros, vendas e finanças. Outro diferencial é que ele possui integração com diversas plataformas de e-commerce, o que facilita o cadastro das informações.

Ele possui a versão gratuita, além das pagas: Cromo (25 reais por mês), Cobalto (50 reais por mês), Titânio (100 reais por mês) e Platina (300 reais por mês). A ferramenta está disponível na versão para desktop e para Android.

Imagem: Bling

Contador de Cliques

O Contador de Cliques é uma ferramenta bem simples, porém útil para empreendedores do varejo: ao pressionar um botão, o contador adiciona um número à contagem. É como escrever números em uma folha de papel — só que de forma mais rápida e sem gastar papel.

O aplicativo é gratuito e está disponível apenas para Android.

Imagem: Contador de Cliques

Evernote

O Evernote quer ser o aplicativo ideal para “gerenciar tudo na vida”: é possível escrever e armazenar notas de diversos assuntos, em formatos como texto, áudio e foto. É possível acessá-lo em diversos dispositivos e compartilhar com quem desejar.

O Evernote possui os planos Basic (gratuito), Plus (40 reais por ano), Premium (80 reais por ano) e Business (24 reais por usuário e por mês). Há a versão para desktop, para Android e para iOS.

Imagem: Evernote

Followers para Instagram

Além de usar o Instagram para fazer negócios, é preciso ficar de olho em como anda sua presença nesta rede. Para isso serve o Followers for Instagram: por meio dele, você consegue acessar dados sobre quem deixou de seguir o perfil da sua empresa, quantas pessoas estão engajadas com sua marca e quais postagens deram mais certo.

O Followers for Instagram está disponível apenas para iOS. Ele é gratuito, mas há recursos pagos dentro do aplicativo.

Imagem: Followers para Instagram

Hootsuite

O Hootsuite é uma ferramenta que permite o agendamento em massa de posts nas redes sociais. Por meio dele, por exemplo, é possível gerenciar na mesma tela os posts no Facebook, no Instagram e no Twitter, por exemplo, além de seguir as estatísticas de audiência de cada página e perfil.

A ferramenta é gratuita para gestão de até três contas. Depois, a mensalidade passa a ser de 8,99 dólares por mês. Além da versão para desktop, há versões para Android e para iOS.

Imagem: Hootsuite

Instabridge

A ferramenta Instabridge, apesar do nome, não tem muito a ver com o Instagram: é um serviço de compartilhamento de wifi gratuito. Na plataforma, é possível verificar as redes que cedem gratuitamente o acesso e se conectar: ao todo, há o registro de mais de 3 milhões de conexões.

O aplicativo está disponível para Android e para iOS.

Imagem: exame.com

Instagram

O Instagram, como todos já sabem, é um aplicativo focado no compartilhamento de imagens. Porém, ele não serve apenas para quem quer tirar selfies: também é muito usado pelas empresas para fazer negócio (saiba mais aqui).

O Instagram possui versões para Android, para iOS e para Windows Phone. Também é possível acessar por meio do desktop — mas não publicar fotos.

MailChimp

O MailChimp é uma ferramenta para fazer um marketing digital mais eficiente do seu negócio: por meio dele, é possível criar e-mails padrão, automatizar o envio em massa, montar formulários, gerar recomendações de produtos aos consumidores e ver estatísticas sobre cada ação.

Os planos do MailChimp são o Forever Free (gratuito), o Growing Business (15 dólares por mês) e o Pro Marketer (15 dólares por mês + 200 dólares para a assinatura de profissional). Há a versão para desktop, para Android e para iOS.

Imagem: MailChimp

Lookback

O Lookback é uma ferramenta feita para os empreendedores digitais: com ela, é possível gravar as interações que os consumidores fazem com produto — toques na tela, cliques e comandos de voz usados, por exemplo. É possível analisar esses dados coletados e montar uma imagem de como é a experiência do usuário.

O Lookback é gratuito e pode ser usado no desktop e em smartphones com Android e com iOS.

Imagem: Lookback

Qipu

Lançado pelo Sebrae e pelo Buscapé, o Qipu é uma ferramenta que ajuda a controlar as obrigações das microempresas, enviando alertas sobre contribuições fiscais, sobre a arrecadação do microempreendedor ou sobre os benefícios a que ele tem direito (veja mais sobre o app).

O aplicativo é gratuito e está disponível para Android, para iOS e para Windows Phone, além da versão web.

Restorando

O Restorando é um aplicativo que agencia reservas de restaurante. Ainda que pareça ser voltado para o consumidor, empreendedores de alimentação podem usá-lo para gerenciar o fluxo de seus empreendimentos.

O Restorando está disponível nas versões para desktop, para Android e para iOS.

Imagem: Restorando

Skyscanner

O Skyscanner é um buscador gratuito de passagens aéreas, hospedagem e aluguel de carros. Ele é focado em quem precisa planejar viagens de forma eficiente — como empreendedores.

O Skyscanner possui a versão para desktop e também aplicativos para Android, para iOS e para Windows Phone.

Slack

O Slack é um aplicativo para trocar mensagens em grupo. Ele é cheio de ferramentas, e isso atrai os donos de negócio: é possível criar grupos públicos e privados; enviar arquivos de serviços como Google Drive e Dropbox; e realizar integrações com serviços como Twitter e Asana para agrupar notificações, por exemplo.

O Slack possui quatro planos: o gratuito, o Standard (6,67 dólares por usuário e por mês), o Plus (12,50 dólares por usuário e por mês) e o Enterprise (ainda não lançado). Há a versão para desktop, para iOS e para Windows Phone.

Imagem: exame.com

Telegram

Assim como o Slack ou o mais famoso WhatsApp, o Telegram também é um serviço de mensagens. Porém, o seu diferencial é que sempre forneceu uma maior segurança das informações trocadas por meio de criptografia, o que é essencial para proteger dados de empresas.

O Telegram está disponível na versão para desktop, para Android, para iOS e para Windows Phone.

Trello

O Trello é um visualizador de listas descolado. Por meio de cartões, é possível dividir áreas de um projeto e acompanhar o progresso de cada um dos setores, por exemplo. Jogando os cartões de um lado para outro, é possível atualizar instantaneamente o progresso de cada tarefa. A ideia é se livrar de post-its, planilhas e softwares complicados.

O Trello possui três planos: o gratuito, o Business Class (9,99 dólares por usuário e por mês) e o Enterprise (20,83 dólares por usuário e por mês). Há a versão para desktop, para Android e para iOS.

Imagem: Trello

WhatsApp

O WhatsApp, assim como o Instagram, é outro serviço muito usado por quem não é empreendedor: ele serve para trocar mensagens de forma simples. Porém, no caso dos negócios, também pode servir para prestar atendimentos (saiba mais aqui).

O WhatsApp possui aplicativos para Android, para iOS e para Windows Phone. Com a aplicação baixada, também é possível acessar pelo desktop.

Zapier

O Zapier é um aplicativo feito para conectar todas as ferramentas que o empreendedor usa em seu dia a dia. Assim, ele consegue se focar no que realmente é importante: produzir. Ao todo, mais de 500 apps estão disponíveis para integração dentro do Zapier.

Há três planos: o Free Forever (gratuito), o For Work (partindo de 20 dólares por mês) e o For Teams (partindo de 100 dólares por mês). É preciso fazer o cadastro na plataforma para começar a usar nas versões desktop e mobile.

Agora que você já conheceu diversos aplicativos importantes para auxiliar na gestão de seu negócio, não perca tempo! Baixe aqueles que podem ser mais úteis para você e aproveite cada vez mais os benefícios da tecnologia em sua empresa.


Já leu nosso último post “Moda plus size: um segmento a ser explorado”? 
Confira aqui.

Moda plus size: um segmento a ser explorado

www.pexels.com

Mais da metade da população brasileira adulta está acima do peso. E dessa parcela, 17,9% estão obesas, segundo dados da pesquisa Vigital (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). Essas pessoas demandam por roupas de tamanhos grandes e aquecem um nicho de mercado em expansão: o de moda plus size.

A procura por roupas desse tipo tem crescido e atualmente existem poucas empresas atuando no ramo, podendo se tornar uma possibilidade de negócio, especialmente para micro e pequenas empresas.

De acordo com pesquisa do Sebrae, 17,7% das lojas do varejo da moda do Brasil vendem roupas em tamanho grande, sendo que apenas 3,5% são especializadas em moda plus size. Segundo o estudo, 71% das pessoas que usam tamanho GG têm dificuldades para encontrar roupas nas lojas e 86% delas se dizem insatisfeitas com as opções de roupas para manequins grandes.

A pesquisa mostra também que a maioria do público tem dificuldades de comprar vestido de festa (59%), calças (56%) e lingerie (49%). Além disso, a maior parte compra roupas mensalmente (38%) em lojas de departamento, em sua maioria (52%).

Apesar dos números apontarem um nicho de mercado a ser explorado, os interessados devem ficar atentos, pois atuar nesse segmento exige uma compreensão sobre o público, suas necessidades, anseios, percepções e comportamentos. São pessoas que procuram não apenas uma roupa que atenda ao seu manequim, mas conforto por meio da costura, do corte, do tecido, sem deixar de lado a beleza da peça.

Você também pode segmentar ainda mais esse público e trabalhar com produtos direcionados, por exemplo: jovem, feminino, masculino, infantil, casual, festa, fitness, moda praia etc.

Se você se interessou pelo assunto e pretende atuar no mercado plus size, confira algumas dicas importantes:

Faça um plano de negócios

Elabore um plano de negócios para compreender a demanda em sua região, quem são seus clientes, concorrentes, fornecedores e quais as chances de sucesso do empreendimento.

Seja diferente

Para alcançar seu público-alvo, busque diferenciais. Apesar do número de empresas relacionadas a este segmento ser menor, é importante atrair e fidelizar seus clientes. Ofereça vantagens e benefícios exclusivos e tenha em mente que a moda plus size não deve ter o objetivo de disfarçar o excesso de peso, mas valorizar partes do corpo e ser confortável. Que tal ter à disposição um personal stylist?

Invista na moda

Aposte em peças com rendas, brilhos, cores e modelos que estão na moda. Fique atento às tendências para garantir que suas peças caminhem na mesma direção. Assine revistas especializadas, acesse blogs e sites de referência, busque estar sempre informado sobre o assunto. Cada vez mais bem resolvidas, mulheres desse nicho querem peças com mais charme.

Treine seus vendedores

Conhecer o produto ou serviço oferecido e saber lidar com clientes são atitudes fundamentais. Lembre-se que, mesmo quando um cliente vai até seu estabelecimento somente para olhar alguma promoção, o bom atendimento pode fazer a diferença para uma compra efetiva acontecer no momento ou futuramente e ainda indicar a empresa para outros clientes.

Se você se interessou pelo tema, pode dar uma olhada em outras informações no Papo de Negócios. Lá você encontrará outras dicas voltadas para a moda plus size.

Mas lembre-se: mesmo com um nicho de mercado em expansão e diversas informações sobre o segmento, é importante fazer um planejamento antes de iniciar o negócio. Contrate uma consultoria; busque outras informações em livros e fontes confiáveis; faça capacitações presenciais e online; busque instituições de apoio às empresas. Planeje-se, busque conhecimento e tire sua ideia do papel.


Já leu nosso último post “6 Dicas para vender mais em tempos de crise”? 
Confira aqui.

6 dicas para vender mais em tempos de crise

www.pexels.com

Basta passar pelos centros da cidade e até mesmo shoppings para perceber que o movimento dentro das lojas caiu. Neste tempo de recessão econômica, as vendas no comércio têm diminuído.

Segundo dados divulgados no início do mês pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do comércio varejista do país fecharam o mês de maio com queda de 1% na comparação com abril, na série ajustada sazonalmente. O volume de vendas acumula, nas series sem ajustes sazonais, retração de 7,3% nos cinco primeiros meses de 2016.

As pessoas não têm mais comprado como faziam antes. As compras têm sido cada vez mais seletivas, de acordo com as necessidades ou oportunidades. Itens supérfluos, que envolvam lazer, por exemplo, e até mesmo alimentação sofreram alguns cortes, sendo consumidos com mais racionalidade.

O consumidor compra quando há necessidade e mesmo assim, tem pesquisado bastante antes de efetuar a compra. A combinação do aumento dos preços, alta de juros e a percepção de que os salários não acompanham a inflação reduziu a intenção das famílias em contrair novas dívidas, o que afeta diretamente o poder de compra.

Sendo assim, é fundamental que você se planeje para colher bons resultados na sua empresa. Lembre-se que cada cliente é único e o atendimento deve ser personalizado.

Para ajudar a aumentar as vendas, preparamos algumas dicas que podem ajudar neste momento:

1. Ofereça promoções

Palavra mágica que atrai os consumidores. Pode ser um frete mais barato ou desconto em produtos ou serviços específicos. O importante é mostrar ao cliente que ele está sendo beneficiado;

2. Escute seu cliente

Procure abrir cada vez mais o canal de comunicação entre sua empresa e o cliente. Escute o que ele deseja, suas reclamações, sugestões e elogios. E após, trace um plano de ação para pôr em prática as melhorias sugeridas;

3. Treinamento de equipe

Se você tem um pequeno negócio, não será tão difícil deixar sua equipe bem preparada para atender. Conhecer o produto ou serviço oferecido e saber lidar com clientes são atitudes fundamentais. Lembre-se que, mesmo quando um cliente vai até seu estabelecimento somente para olhar alguma promoção, o bom atendimento pode fazer a diferença para uma compra efetiva acontecer no momento ou futuramente e ainda indicar a empresa para outros clientes;

4. Fique de olho na concorrência

Seja no concorrente similar ou maior que você, que fornece um serviço ou produto igual ou semelhante ao da sua empresa, fique atento para saber como está o mercado e quais as necessidades e desejos do cliente você tem mais chances de atender. Mas lembre-se sempre de ser fiel aos seus valores e aos do seu negócio;

5. Faça propagandas na internet

Promova postagens na página ou perfil da empresa nas redes sociais e, se possível, realize pequenos investimentos, como anúncios pagos. As redes sociais têm sido importantes aliadas na divulgação de produtos e serviços, com grandes alcances a preços baixos;

6. Não tenha medo de inovar sempre que possível

Mesmo que sua empresa trabalhe com um produto ou serviço de sucesso, sempre existe a possibilidade de inovar e atender outras expectativas, desejos e números. E quando se trata de datas comemorativas, inovar pode ser um diferencial para se destacar.

E se você deseja aumentar as vendas e quer receber mais dicas para isso, os cursos e eBooks do Sebrae ES são algumas das ferramentas que podem te auxiliar nessa empreitada. Além de gratuitos e diversificados, estão disponíveis na internet como: “Vendas Externas: Planejamento e Vendas”, “Como Vender Mais e Melhor”, “Vendas Internas: é no Balcão que se Vendeentre outros.

Busque, pesquise e aplique as técnicas de vendas e relacionamento com o cliente. Com dedicação, persistência e atitude, o sucesso de sua empresa deixará de ser um sonho e se tornará real. Bom trabalho!


Já leu nosso último post “Startups: boas opções em tempos de crise?”? 
Confira aqui.

Startups: boas opções em tempos de crise?

www.pexels.com

Em tempos de crise, é preciso redobrar a atenção quando o assunto é iniciar um negócio. Perceber a movimentação do mercado pode ser o diferencial entre o fracasso e o sucesso.

Hoje em dia, uma das principais tendências são as startups. Isso porque, entre as características que as diferem dos negócios tradicionais, uma das que mais se destacam é o potencial de crescimento em relação ao investimento inicial desse tipo de negócio. Ou seja, o aporte financeiro é geralmente baixo, com boas possibilidades de lucro.

Quando a startup dá certo e o empreendedor tem paciência e possibilidade de esperar alguns anos pelo resultado, com um investimento pequeno é possível crescer bastante.

Então, se por um lado, os desafios no cenário econômico têm prejudicado muitos negócios tradicionais, eles também abrem oportunidades para avaliar as necessidades do consumidor e trabalhar no desenvolvimento ou investimento de novas ideias de negócio. Basta ter atenção ao momento, criatividade e disposição.

Claro que, antes de tomar qualquer decisão, é preciso que você avalie seu perfil de investimento. Se você é uma pessoa conservadora, que não está disposta a assumir riscos, talvez seja melhor pensar em algo mais tradicional. Isso porque as condições nesse modelo de negócio são de extrema incerteza. Ou seja, nunca se sabe se a ideia será um sucesso ou não.

Além dos aspectos que já citamos, confira outros que definem uma startup:

  1. O modelo tem que ser inovador;
  2. O negócio é enxuto;
  3. É repetível, ou seja, capaz de entregar o mesmo produto em escala potencialmente ilimitada, sem muitas customizações por cliente;
  4. É escalável, conseguindo crescer sem que isso influencie no modelo de negócios, ou seja, é possível aumentar a receita sem que os custos aumentem proporcionalmente.

Agora que conhece um pouco melhor o tema, está decidido a investir em uma startup? Saiba que, assim como acontece em um modelo tradicional, é fundamental, em primeiro lugar, um aprofundamento nos aspectos do negócio. Assim, será possível ter certeza de sua decisão e estar preparado para conduzir a empresa nos diferentes cenários que possam se apresentar.

Confira as dicas:

  • Escolha uma área com a qual tenha afinidade;
  • Observe se a ideia é capaz de gerar resultados financeiros;
  • Aspectos como faturamento, margem de lucro e estimativa de vendas devem ser analisados desde o início;
  • Analise se há espaço no mercado para essa ideia e se ela está sendo lançada no timing certo, ou seja, não está defasada;
  • Caso esteja investindo na ideia de outra pessoa, conheça bem esse empreendedor e analise se ele possui as características necessárias para fazer a empresa prosperar;
  • Confira as estratégias que o empreendedor planeja para que a ideia seja lançada e aceita no mercado;
  • Procure se informar sobre empreendedores mais experientes, que já atuaram em mais de um negócio ou startup;
  • Envolva-se na parte estratégica, colaborando com sugestões;
  • Elabore ou observe o plano de negócios da startup e troque ideias com outros empreendedores e investidores;
  • Busque mentores que já fazem o que você planeja fazer, e que sejam bem sucedidos na área em que deseja atuar.

Já leu nosso último post “Plano de Negócios. Comece no caminho certo”? Confira aqui.