Por que as empresas morrem?


Abrir uma empresa é uma tarefa relativamente simples. Pode ser um pouco burocrática, dependendo do seu porte, mas não requer muito segredo para conseguir um CNPJ e se formalizar. Centenas de pessoas dão esse primeiro passo e tiram suas ideias do papel todos os meses no Espírito Santo, segundo dados da Junta Comercial do estado.

A maior dificuldade vem com o passar do tempo, quando a empresa não dá o resultado esperado, quando as contas aparecem e você percebe que está com o caixa no vermelho. A sobrevivência das empresas é um assunto delicado.

De acordo com uma pesquisa do Sebrae, das empresas constituídas em 2012, no Brasil, 76,6% das empresas sobreviveram aos dois primeiros anos de atividade. Essa mesma pesquisa mostra que os números melhoraram comparados aos anos anteriores, porém mesmo em um cenário otimista, essa média cairia para 68% até 2018.

Mas quais os motivos que levam à falência das empresas logo no início?

A pesquisa do Sebrae mostrou que, entre os principais motivos estavam a falta de planejamento, falta de capacitação e má gestão do negócio. Porém, foi identificado ainda que, muitas das empresas que fecharam, o negócio tinha sido aberto por necessidade e não por uma oportunidade.

Um outro ponto identificado foi a falta de acompanhamento rigoroso da movimentação financeira, além de não se atualizar com respeito às novas tecnologias do setor e manter produtos e serviços sem diferencial.

Podemos perceber, com isso, que não existe um fator único que explique porque as empresas fecham com poucos anos de atividade. Na verdade, é um leque de cuidados que a empresa necessita para se manter viva.

Abrir uma empresa pode ser algo relativamente fácil, mas mantê-la é uma tarefa que necessita de muito empenho, dedicação e amor pelo negócio. Empreender é superar um desafio a cada dia, é estar comprometido 24 horas com seu empreendimento, principalmente até que ele se estabilize.

E quais os passos para a sobrevivência?

Como já citado, são diversos pontos que precisam ser sempre observados para que a empresa se desenvolva e dê retornos positivos, ficando sempre no azul. Abaixo citamos alguns itens que se destacam:

– Faça um bom planejamento, de preferência, um Plano de Negócios.

Já citamos essa ferramenta diversas vezes aqui no blog, pois ela é essencial para ter uma visão atual e futura do seu empreendimento. Você conseguirá identificar seu mercado, clientes, fornecedores, concorrentes, pontos fortes e fracos, além de identificar o prazo de retorno que terá do seu investimento.

– Tenha atenção às finanças da empresa.

É fundamental manter o controle financeiro do que entra e sai na sua empresa. Você precisa ficar atento às movimentações financeiras, capital de giro, fluxo de caixa e gestão dos estoques de seus produtos. Só assim poderá saber se a empresa está sendo ou não lucrativa.

– Invista em capacitação.

O empreendedor que busca capacitação está sempre à frente daquele que não se capacitou. Conhecimento é sempre bem-vindo, então mantenha-se atualizado sobre os assuntos pertinentes ao seu negócio e também ligados à gestão para garantir o crescimento da sua empresa. Lembre-se também de capacitar sua equipe e mantê-la sempre motivada.

– Fique de olho nas novidades do setor.

Independente do setor, as novidades não param de surgir. Procure estar sempre informado sobre as inovações tecnológicas ligadas ao setor em que atua, como novos softwares e aplicativos. Fique ligado também às tendências e mudanças de comportamento dos seus clientes, além de ficar de olho nos seus concorrentes para saber o que eles estão fazendo.


Já leu nosso último post “5 dicas para contratar funcionários”? Confira aqui.

Orientações para empreender em casal

www.thinkstock.com

Muitos casais não conseguem imaginar ter que trabalharem juntos. Outros, porém, encontram nessa iniciativa a oportunidade de juntarem suas aptidões e talentos para empreenderem, abrirem o próprio negócio, além de passarem mais tempo pertos um do outro. Essa decisão deve ser pensada com calma, pois por mais afinidade e amor que o casal tenha um pelo outro, encontrarão obstáculos na vida empresarial e eles não poderão interferir na vida conjugal.

Se você pensa em abrir sua empresa com seu cônjuge, procure fazer um Plano de Negócios antes de tirar a ideia do papel. Essa ferramenta trará para vocês uma visão do futuro e mais clareza sobre como será o caminho a ser percorrido, identificando mercado, concorrentes, fornecedores, público-alvo, pontos fortes e fracos do negócio que está para ser iniciado.

Uma visão distorcida que muitos têm da vida empresarial é que, ao montar um negócio irá trabalhar menos que trabalha para os outros. Saiba que isso é um mito, pois você passará a ser o responsável por tudo dentro da empresa e precisará pensar nela até 24 horas por dia, principalmente até que ela se estabeleça e comece a dar retorno — o que pode demorar meses e até anos.

É importante que vocês conversem para identificar o propósito de montar uma empresa e por qual motivo estão fazendo isso juntos. Para que o negócio dê certo vocês precisam ter entre si: confiança, respeito, lealdade, honestidade, justiça e crescimento.

Confira abaixo cinco orientações para que a empresa do casal tenha sucesso:

1. Distribua funções

Identifique quais as habilidades individuais de cada um para que possam desenvolver melhor o seu papel dentro da empresa. É importante também que as tarefas do empreendimento sejam bem divididas e definidas para que um não interfira na atividade do outro e não haja conflitos entre as responsabilidades de cada um. Dentro da empresa lembre-se que precisa tratar o(a) parceiro(a) de modo profissional, principalmente na frente da equipe, clientes e fornecedores.

2. Saiba separar os assuntos

Ao chegar em casa vocês devem deixar o assunto do trabalho de lado. Nenhum relacionamento é saudável quando, mesmo em casa, só se fala de trabalho. É preciso que tenham momentos de lazer e conversas sobre outros assuntos para que a relação pessoal do casal não se desgaste.

3. Não misture os problemas da empresa e vida pessoal

Esse é um item difícil de ser colocado em prática, mas deve ser trabalhado dia a dia para que possam evitar problemas maiores. Ao passar por alguma dificuldade na vida profissional vocês precisam ter em mente que isso não pode interferir na vida pessoal e vice-versa.

Assim que surgir um problema vocês devem focar logo na solução e deixar cada questao para ser discutida em seu local de origem. Se isso não for observado e tratado com cuidado pode acabar até mesmo em divórcio por conta da empresa.

4. Divida o dinheiro

Ao abrir o próprio negócio você deve definir o pró-labore do casal, ou seja, a remuneração que deve ser paga às pessoas responsáveis pela administração da empresa. Se possível, esse valor deve ser semelhante para o casal. Essa medida ajuda a evitar brigas e a misturar o dinheiro da família com o da empresa (isso deve ser muito bem observado para evitar problemas financeiros. Confira o post que fizemos abordando este assunto).

5. Tire férias ao mesmo tempo

Quando só os integrantes do casal são os únicos sócios da empresa, separar um momento para as férias é um grade desafio. Para resolver isso é preciso treinar muito bem e confiar na equipe. Se a empresa está sendo aberta, é possível que o momento das férias demore um pouco, até que o negócio esteja estável e caminhando bem. Conversem sobre isso e planejem esse momento juntos.

Empreender em casal pode ser uma boa opção se houver sempre o diálogo e compreensão entre os dois. Ser paciente e tolerante é fundamental para que o relacionamento empresarial e o pessoal dê certo.


Já leu nosso último post “5 dicas para ter um e-commerce de sucesso”? Confira aqui.

5 dicas para ter um e-commerce de sucesso

Pixabay.com

O mercado de e-commerce no Brasil continua em expansão. Essa modalidade de comércio cresceu 9,23% e chegou a 600 mil lojas eletrônicas em 2017, segundo o estudo “O Perfil do E-Commerce Brasileiro 2017”, encomendado pelo PayPal Brasil à BigData Corp.

Em 2017, também chama a atenção o boom no número de e-commerces de grande visitação — aqueles com mais de 500 mil visitas mensais. Enquanto em 2016 esses sites tinham participação marginal no total de lojas online, de apenas 0,76%, hoje representam 14,77% do total de lojas virtuais.

Com perspectiva de continuar crescendo, ainda há espaço para mais negócios na esfera virtual. E o empreendedor pode aproveitar essa onda. Mas, antes de abrir o seu comércio eletrônico, deve dar uma olhada nas cinco dicas listadas pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que podem ser muito úteis para o sucesso da empresa virtual.

1. Escolha da plataforma

Por meio da plataforma o lojista apresenta seus produtos aos consumidores e disponibiliza soluções de pagamento. Os modelos existentes no mercado são diversos. Avalie se o layout de loja e as formas de pagamento oferecidas estão de acordo com as suas necessidades. Leve em conta também o atendimento que a empresa oferece, pois é através desta plataforma que você administrará a sua loja virtual.

2. Provedor confiável

Uma loja virtual fica aberta 24 horas por dia, sete dias por semana. Por isso, um domínio fora do ar pode significar prejuízo nos negócios. Na contratação do provedor, vale até gastar um pouco mais, se isso for garantir um serviço de qualidade.

3. Formas de pagamento

Meios de pagamento ágeis e seguros fazem toda a diferença no comércio eletrônico. Quanto mais formas você oferecer, mais clientes vai satisfazer. O meio mais usado para o pagamento de compras virtuais atualmente é o cartão de crédito, mas não se deve descartar outras possibilidades, como os cartões de débito, de lojas, boletos, transferências bancárias e até o celular.

4. Logística precisa

É obrigação do lojista garantir que os produtos vendidos em seu comércio eletrônico cheguem ao cliente no prazo certo e em perfeitas condições. O custo disso não é baixo, e deve constar nas despesas totais de implementação da loja virtual. O serviço completo de logística inclui a recepção das mercadorias, a estocagem, o deslocamento dos produtos para preparação do pedido e, finalmente, a estrutura de transporte para a entrega dos itens.

5. Atendimento confiável

Para efetuar a compra em uma loja virtual, o cliente precisa confiar naquele site. Afinal, o pagamento é feito antes do recebimento da mercadoria. Oferecer um serviço eficiente de atendimento ao cliente pode ajudar o consumidor a se sentir mais seguro. Uma equipe bem treinada e pronta para sanar dúvidas faz toda a diferença. Entre as ferramentas disponíveis para suprir essa necessidade, chats online, e-mail e atendimento telefônico.

Se você já tem ou pretende investir em um e-commerce, não deixe de conferir o post que fizemos abordando outras dicas para um e-commerce de sucesso, levando em consideração alguns fatores-chave.


Já leu nosso último post “Dicas para não misturar as finanças pessoais com a empresarial”? Confira aqui.

Dicas de gestão para abrir o próprio negócio

Pixabay.com

Se tornar o próprio patrão e abrir uma empresa é uma decisão muito importante e difícil de ser tomada. Afinal, requer fazer escolhas, mudar rotinas, encarar desafios. Muitas pessoas pensam apenas na ideia do negócio e esquecem do principal: elaborar um bom planejamento estratégico e financeiro. De acordo com uma pesquisa do Sebrae, a cada 100 empresas abertas no Brasil, pouco mais de 75 sobrevivem ao primeiro ano. O Espírito Santo é o sexto estado com a melhor taxa de sobrevivência.

Para ficar entre as empresas que se mantém vivas e prósperas é preciso pensar a empresa como um todo antes mesmo de tirar o sonho do papel. O fundador da ContaAzul, empresa que oferece serviços de gestão online para pequenas empresas, Vinícius Roveda, deu uma entrevista para a Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, e listou algumas dicas para quem quer evitar erros comuns ao empreender. Confira:

1. Valide o seu modelo de negócio

A falta de planejamento é uma das principais causas de mortalidade das empresas. Os erros são comuns, mas o importante é que as falhas sejam encaradas como um aprendizado. O ideal é testar e validar seu negócio o mais rapidamente possível — e não ter medo de mudar completamente a estratégia caso seja preciso. Lembre-se de que, se você invalida uma ideia em pouco tempo, o prejuízo é menor. O canvas é um modelo bastante útil para desenvolver sua ideia de negócios.

2. Conheça profundamente os seus clientes

Quanto mais você conhecer o seu cliente, maior será a probabilidade de ter sucesso. Mas não basta apenas ter informações do tamanho do seu público-alvo e de sua preferência. Também é importante entender o comportamento, os hábitos e as rotinas de quem você quer atingir. Com essas informações em mãos, é possível personalizar produtos ou serviços, conquistar os usuários e obter sucesso mais facilmente.

3. Fuja da informalidade

Empreendedores iniciantes se veem tentados a começar suas atividades de maneira informal. A intenção principal é fugir dos impostos. No entanto, sem a formalização, o seu negócio fica impedido de crescer. A capacidade de emitir nota fiscal, criar uma conta bancária como pessoa jurídica, obter máquinas de cartão de crédito e solicitar empréstimos públicos é exclusiva para quem tem um CNPJ. Confira aqui 7 motivos para se formalizar.

4. Tenha uma vida financeira organizada

Muitos empreendedores vivem mergulhados em uma completa desorganização financeira, algo terrível para os negócios. Para “sair do vermelho”, o primeiro passo é organizar seu fluxo de caixa. Com planilhas simples, é possível controlar os valores que entram e saem, inclusive com previsões futuras.

5. Defina o valor do seu produto de maneira consciente

Empreendedores iniciantes também costumam errar muito na hora de definir a margem de lucro e fixar preços de produtos. É comum encontrar empresários que vendem muito, mas se queixam de não ver o dinheiro entrar. Isso acontece em razão de cálculos equivocados. Saiba que há técnicas corretas para definir margens de lucro e preço de produtos e serviços.

6. Adote estratégias de comunicação

Estratégias de comunicação devem ser adotadas em qualquer negócio, seja ele de grande ou pequeno porte. Algumas medidas criativas podem ser adotadas sem grandes custos. Uma newsletter para o e-mail dos seus clientes, informando sobre novidades e promoções, é uma forma relativamente barata de informá-los. As redes sociais também são opções gratuitas que não podem ser deixadas de lado. Usando as plataformas corretas você pode ter bons resultados.

Empreender tem sido a opção de muitas pessoas e pode parecer muito vantajosa para quem está desempregado ou deseja se tornar seu próprio patrão, porém requer atenção, cuidado, preparo, disposição e coragem. Busque o maior número de informações possível sobre o mercado em que pretende atuar, além dos riscos a serem enfrentados. Dessa forma, estará mais preparado e poderá evitar erros.


Já leu nosso último post “Empreendedor pode tirar dúvidas pelo chat do Sebrae ES”? Confira aqui

Empreendedor pode tirar dúvidas pelo chat do Sebrae ES

Pixabay.com

Com o objetivo de orientar os donos de micro e pequenas empresas que precisam tirar dúvidas rápidas e urgentes, que não demandariam um atendimento presencial, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae ES) colocou à disposição uma rede de especialistas prontos para prestar orientações online. As dicas são em diversos temas, como empreendedorismo, marketing, vendas, crédito, finanças, pessoas, legislação, inovação, entre outros.

Trata-se do Fale com um Especialista, um canal de atendimento ao cliente individual, gratuito e realizado em tempo real, através de um chat online, com duração de 30 minutos. O atendimento também pode ser feito por e-mail. Para isso, basta o empreendedor acessar o portal do Sebrae, se cadastrar, e escolher a forma como deseja ser atendido, além do assunto que mais se adapte à sua dúvida.

“O Fale como um Especialista nos permite atender, online, ao cliente de qualquer município, principalmente aqueles que não possuem uma agência do Sebrae”, informou o diretor de atendimento do Sebrae ES, Ruy Dias de Souza. Segundo Ruy Dias, o canal foi criado com o objetivo de orientar o empresário no que for necessário, de forma rápida e em tempo real. “Sabemos que o dia a dia dos empresários é corrido e em algum momento dúvidas irão surgir, por isso, pensamos em um atendimento ágil para esclarecer essas dúvidas, facilitando a vida dos empreendedores. A nossa equipe possui um vasto conhecimento em gestão de pequenos negócios e estamos focados em auxiliar esses empresários a resolver suas dificuldades.

Serviço

O horário para o atendimento é das 9h às 17h, de segunda a sexta. Para mais informações e cadastro, basta acessar o site.


Já leu nosso último post “5 erros que devem ser evitados ao comprar uma franquia”? Confira aqui.

5 erros que devem ser evitados ao comprar uma franquia

Freepik.com

Comprar uma franquia tem sido a opção de muitos empreendedores. Isso porque esse modelo de negócio já vem testado e possui um registro histórico dos resultados anteriores, além de todo apoio que a franqueada oferece. Se você tem pensado em adquirir uma franquia fique atento, pois apesar de todas as vantagens, é preciso tomar alguns cuidados para evitar problemas com essa opção.

Há muitos detalhes importantes que você deve levar em conta antes de adquirir uma franquia e também durante a operação da mesma para não cometer erros comuns, como os relacionados a questões jurídicas, ao entendimento do mercado e ao relacionamento com outros empreendedores. O site da Inc. listou cinco erros que o franqueado não pode cometer. Confira e evite dores de cabeça:

1. Não entender o mercado ou não fazer uma pesquisa aprofundada

Você deve fazer sua escolha pensando no mercado e não apenas seguir uma moda ou uma paixão pessoal. É preciso identificar a necessidade do mercado e se você terá ou não uma base de clientes. Considere se esse tipo de produto ou serviço vende bem e se a localização será um fator importante. Será que o mercado pode mudar logo? Realizar um Plano de Negócios pode ser importante neste momento, onde você identificará mercado, público-alvo, concorrentes, entre outros itens fundamentais.

2. Não conversar com outros franqueados da marca que você está avaliando

Muitas pessoas compram uma franquia após terem conversado com conhecidos (família, amigos, advogados, funcionários), mas se esquecem do grupo mais importante: os empresários que já têm uma unidade daquela marca. São eles que conhecem o negócio melhor que todo mundo e têm insights valiosos sobre estar à frente daquela loja. Sabem como é o dia a dia, o mercado e o comportamento do cliente e podem ajudar o candidato a tomar uma decisão melhor.

3. Achar que você poderá manter a sua independência

Diversos empreendedores entram no franchising porque querem ser seus próprios chefes. Mas essa não é a realidade. Os franqueadores precisam confiar nos seus franqueados. Como empreendedor, você terá de domar a sua independência. Lembre-se de que o franqueador conhece o sistema melhor que você (pelo menos enquanto a sua loja estiver começando). Se isso não parecer adequado para você, considere se a franquia realmente é o melhor caminho.

4. Não aprender a implementar o sistema de franquias

Como franqueado, seu trabalho não é reinventar o sistema: é seguir o sistema. Você precisa aprender os detalhes da operação e seguir os programas de treinamento. É importante que o franqueado tenha um plano de ação documentado e invista tempo para aprender sobre o funcionamento da loja.

5. Colocar o carro na frente dos bois

Aprenda a implantar o negócio antes de se aventurar com a abertura de várias lojas. Os franqueadores querem ver o sucesso de uma unidade antes que o franqueado abra a segunda — ou a décima. Mergulhe em um conceito de franquia antes de pensar nos próximos.

Se você está pensando em adquirir uma franquia, considere esses cinco itens, busque mais informações sobre o sistema franchising, procure se informar sobre os pontos negativos que existem também, pois você pode estar tão empolgado com essa decisão que só enxergue ou escute as vantagens. Conhecer o que pode dar errado é importante para que você possa evitar ou, pelo menos, saber o que fazer no momento.

Em alguns posts atrás publicamos algumas opções de franquia para trabalhar de casa. Pode ser uma inspiração para você.


Já leu nosso último post “7 motivos para se tornar um MEI”? Confira aqui.

7 motivos para se tornar um MEI


Desde 2008 o empreendedor que deseja trabalhar de forma legalizada tem a opção de se tornar um Microempreendedor Individual (MEI). Essa categoria foi criada pela Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, oferecendo condições especiais para o trabalhador conhecido como informal.

O MEI se tornou a porta de entrada para quem quer se tornar dono do seu próprio negócio. Com pagamento reduzido de tributos, o empresário passa a contar com uma série de benefícios que podem auxiliar no crescimento e desenvolvimento de sua empresa.

Se você pretende abrir seu próprio negócio, mas não conhece o MEI ou ainda tem dúvida se é vantajoso, confira abaixo 7 motivos que listamos para você se formalizar:

1- Facilidade na abertura da empresa

Com a criação do Microempreendedor Individual ter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) ficou muito fácil e rápido. Basta o interessado acessar o Portal do Empreendedor e preencher a inscrição informando alguns dados pessoais. O processo é rápido e totalmente gratuito.

É fundamental, porém, que o empreendedor consulte a Prefeitura do Município onde pretende trabalhar para verificar se a atividade pode ser realizada no endereço indicado. Além disso, dependendo da atividade, algumas autorizações podem ser exigidas de outros órgãos competentes, como Vigilância Sanitária.

Se o empreendedor tiver interesse, ele pode procurar uma unidade do Sebrae mais próxima para tirar dúvidas, receber orientações e realizar sua formalização gratuitamente.

2- Emitir notas fiscais

Emitir notas fiscais é uma das vantagens de se tornar um Microempreendedor Individual. Isso porque o empreendedor poderá vender ou prestar serviços para consumidor pessoa jurídica (empresa). Isso traz mais oportunidades para o crescimento do negócio, pois o MEI pode oferecer para o setor público ou até mesmo para grandes empresas, já que estes exigem a emissão de documento fiscal.

Para consumidor pessoa física, o MEI não é obrigado a emitir nota fiscal, a não ser que o consumidor exija.

3- Pagamento de poucos tributos

O Microempreendedor Individual é beneficiado com a simplificação tributária, tendo isenção de impostos federais, além de redução de taxas e custos. O MEI precisa pagar mensalmente um percentual de 5% sobre o salário-mínimo vigente para custear o INSS, além de R$ 5,00 para atividades de serviço, referente ao ISS (Imposto sobre Serviços) e R$ 1,00 para atividades de comércio, referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS).

Todos esses impostos são cobrados em uma única guia chamada DAS. Esse valor fixo permite ao empreendedor se organizar e se planejar financeiramente, sabendo quanto gastará com tributos por mês.

4- Acesso a benefícios previdenciários

Ao manter o pagamento da guia mensal em dia, o MEI garante cobertura previdenciária para o empreendedor, como auxílio-doença, aposentadoria por idade e salário-maternidade, no caso de gestantes e adotantes, após um número mínimo de contribuições. A família do MEI também terá direito à pensão por morte e auxílio reclusão.

5- Facilidade para obter crédito

Muitos bancos oferecem facilidade para o MEI abrir uma conta jurídica e linhas de crédito em condições especiais. Os empreendedores também conseguem encontrar, além de menores tarifas e taxas de juros, outras condições de financiamento interessantes.

Essa iniciativa é importante, pois permite que o MEI tenha acesso a crédito para fazer o seu negócio crescer, além de melhorar a gestão financeira da empresa separando a conta jurídica da sua conta pessoal.

6- Contratar um empregado

O MEI não pode ter sócio, mas pode contratar um empregado, desde que ele receba remuneração de um salário mínimo ou piso salarial da categoria. Os valores podem alterar caso o piso salarial da categoria profissional seja superior ao salário mínimo.

Se o negócio crescer muito e for necessário contratar mais funcionários, o empreendedor precisará comunicar ao governo o seu desenquadramento como MEI.

7- Dispensa da escrituração dos livros fiscais e contábeis

O MEI não é obrigado a contratar escritório de contabilidade, bem como está dispensado da contabilidade forma, não precisando escriturar nenhum livro. Ao contrário, o Microempreendedor Individual tem direito à assessoria contábil gratuita para a realização da sua inscrição ao Simples Nacional e à primeira Declaração Anual Simplificada da Microempresa Individual (DASN-SIMEI), por meio de uma rede de empresas contábeis optantes pelo Simples Nacional.

Apesar da simplificação fiscal e contábil, o MEI não deve trabalhar de maneira desorganizada, devendo manter o controle do que compra, vende e quanto está faturando com seus produtos e serviços, pois é necessário manter o respeito ao limite de faturamento anual, que é de R$ 60 mil.

Para isso sugerimos que o MEI mantenha um Relatório Mensal de Receitas Brutas para comprovação das receitas, onde deverão ser anexadas as notas fiscais de entrada de mercadorias e serviços tomados, bem como as notas fiscais de vendas ou prestação de serviços emitidas.

O MEI deve apresentar, obrigatoriamente, a Declaração Anual para o MEI (DASN-MEI), com prazo para o dia 31 de maio de cada ano, e prestar informações de seus empregados nos casos de admissão e demissão.

Agora que você já conhece as vantagens de se formalizar como Microempreendedor Individual, veja se essa é a sua realidade e dê o primeiro passo para o mundo do empreendedorismo.

Você também pode aproveitar para tirar suas dúvidas e buscar mais informações sobre o assunto durante a Semana do MEI, que acontecerá entre os dias 8 e 13 de maio em todo o Brasil. O evento é uma realização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).


Já leu nosso último post “7 dicas para conquistar e fidelizar clientes”? Confira aqui.

Tendências para empreender em 2017

http://www.thinkstockphotos.com

Mesmo em tempos de crise econômica, quando a recessão dificulta o empreendedorismo, com planejamento, metas e monitoramento é possível investir e ter sucesso no negócio próprio.

Uma das decisões mais difíceis é escolher o nicho para investir. A melhor forma de fazer essa escolha é acompanhar como o mercado se movimenta e buscar soluções inteligentes para os setores que ainda carecem de um serviço de qualidade.

Confira algumas sugestões de nichos de mercado que devem ser promissores em 2017:

Negócios Digitais


Esse tipo de negócio está cada vez mais em alta, e qualquer profissional pode encontrar uma oportunidade para estabelecer um negócio digital, com base no que faz de melhor. Além disso, é um meio muito mais rápido e fácil de ganhar dinheiro, pois nem sempre é preciso investir uma fortuna para começar, já que o que mais importa a é a visão empreendedora.

As duas principais tendências dos negócios digitais são E-commerce e Consultoria Online. O primeiro, nada mais é que um comércio eletrônico. Uma modalidade que realiza suas transações financeiras e comerciais por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores e celulares.

Já na consultoria online o empreendedor qualificado pode garantir a qualidade e transparência dos serviços, sem investir muito dinheiro, além de poder trabalhar como home office.

Franquias


As redes de franquias vêm crescendo nos Estados Unidos e na Europa e também estão chegando cada vez mais no Brasil, ganhando seu espaço. Com formatos de lojas menores e vendas porta a porta, as franquias serão algumas das promessas para o 2017.

No ramo da franchising, existem várias opções que estão em alta e não exigem muito investimento. Com possibilidade de trabalhar com grandes marcas, mas em um modelo de negócios mais enxuto e barato, os quiosques são uma ótima oportunidade para quem quer se tornar um franqueado de sucesso e já existem diversas opções como beleza, artigos esportivos, alimentação ou bebidas.

Alimentação Saudável


Ninguém sobrevive sem se alimentar, logo, é um mercado muito atrativo. Esse setor apresenta resultados excelentes e devem ser uma grande aposta para quem pretende abrir um novo negócio. Atualmente as pessoas estão se preocupando cada vez com a saúde e com o corpo. Com isso, a comida saudável é que mais ganha destaque.

O número de food trucks também tem crescido consideravelmente em todo o Brasil e ganhado seu espaço no Espírito Santo. Esta opção é uma grande tendência para os próximos anos.

Beleza e Cosméticos


O setor da beleza, assim como a alimentação saudável, tem ganhado espaços cada vez maiores com a busca pela saúde e bem-estar. Esse segmento de beleza e cosméticos é vasto e reúne diversos serviços como cortes de cabelos, penteados, pintura, manicure, massagens e tratamentos estéticos em geral. Por isso, pode ser uma boa ideia para 2017 apostar em um empreendimento de beleza diferenciado e com boa localização.

Customização


No lugar de comprar produtos novos, de alto valor agregado, muitas pessoas estão optando por adquirir itens mais básicos e mais baratos. Reaproveitar produtos, móveis e roupas, por exemplo, tem sido a opção de muitos que buscam a customização para dar aquela personalizada na peça que estava jogada no guarda-roupa ou no móvel que estava largado no canto, deixando-os novamente prontos para uso.

Consertos automotivos


Assim como o conserto de roupas e customização de móveis, os serviços de reparos automotivos vêm ganhando cada vez mais força. Devido à recessão econômica, no lugar de trocar produtos assim que eles quebram, os brasileiros estão procurando formas mais baratas de manter o que já possuem.

Essas são algumas sugestões de segmentos mais promissores para 2017, porém é extremante importante que a vontade de empreender e crescer esteja aliada à busca por capacitações, conhecimento e atualização. Ficar por dentro das novidades e tendências é primordial para se manter num mercado cada vez mais competitivo.


Já leu nosso último post “Campanha incentiva consumo nos pequenos negócios para movimentar a economia local”? Confira aqui.

Campanha incentiva consumo nos pequenos negócios para movimentar a economia local

Divulgação Sebrae ES

Na segunda semana de fevereiro o comércio do Espírito Santo ficou prejudicado por uma crise na segurança. Neste período muitos comerciantes não puderam abrir seus estabelecimentos e alguns sofreram com arrombamentos e assaltos.

Na tentativa de fazer com que estes comércios voltem a lucrar, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae ES) trouxe de volta a campanha Compre do Pequeno. O objetivo é incentivar a população a adquirir produtos e serviços de pequenos negócios, que representam 99% das empresas no Espírito Santo.

A campanha Compre do Pequeno foi lançada pela primeira vez em 2015 para celebrar o Dia da Micro e Pequena Empresa, comemorada no dia 5 de outubro.

O que são pequenos negócios?

Sabe aquela padaria perto da sua casa? Aquele mercadinho, a farmácia do seu bairro, o salão de beleza da sua vizinha, a lanchonete. Falando genericamente, eles podem ser considerados pequenos negócios, pois são estabelecimentos que possuem, normalmente, poucos funcionários e não chegam a faturar tanto quanto grandes empresas.

Mas por que devo comprar dos pequenos negócios?

Os pequenos negócios capixabas são fundamentais para a economia do estado, sendo responsáveis por 28% do PIB e 56% dos empregos formais. Muitas pessoas têm sua primeira oportunidade de trabalho em empresas pequenas.

No meu bairro os preços de muitos produtos e serviços são mais caros do que em grandes centros.

Isso acontece porque muitas vezes o empresário de pequenos negócios tem dificuldade de comprar os produtos em grande quantidade, se tornando mais caro também para ele, que precisa repassar o valor para o cliente. Isso normalmente acontece porque ele tem um estoque pequeno, já que quantidade de produtos comprados em seu estabelecimento é menor. A medida que isso muda, que as pessoas passam a comprar mais produtos com ele, é possível fazer um estoque maior, conseguindo, consequentemente, um preço mais baixo nessa compra podendo, então, repassar ao cliente final.

Então quais as vantagens para mim, consumidor?

Ao comprar no seu bairro, você ajuda a movimentar a economia local. O dinheiro passa a circular por ali mesmo. Por exemplo, você vai ao Salão de Beleza ou Barbearia e paga por aquele serviço. O empresário deste estabelecimento recebe e usa o dinheiro para comprar mais produtos na farmácia vizinha e assim por diante. Além disso, quando o número de clientes aumenta numa determinada região outros empreendedores abrem novas empresas no local, aumentando a concorrência. Com isso, os preços passam a ser mais competitivos e a qualidade dos produtos também aumenta.

Como eu, empresário, posso aumentar minhas vendas nesse momento?

Muitos comerciantes ainda estão preocupados com a situação da segurança no estado, apesar de todas as ações do governo, mas a maioria resolveu enfrentar o medo e abrir seus estabelecimentos como de costume. Dessa forma, as ruas ficam movimentadas e a população também se sente um pouco mais segura para tentar voltar à rotina.

E mesmo que você sofrido prejuízos por não abrir seu estabelecimento durante alguns dias, não adianta tentar obter lucro desses dias aumentando preços dos produtos ou serviços. É preciso ainda mais esforço, dedicação e trabalho para conquistar os clientes e, assim, realizar suas vendas.

Uma dica é oferecer um atendimento diferenciado, buscando cativar e fidelizar o seu público. Ficar atento às necessidades do cliente, ouvir as demandas dele, ser sincero, são atitudes que encantam e fazem o cliente se sentir seguro no estabelecimento.

Oferecer promoções também pode ser uma boa ideia, pois é uma palavra mágica que atrai consumidores. Pode ser um frete mais barato ou desconto em produtos ou serviços específicos. O importante é mostrar ao cliente que ele está sendo beneficiado.

Fique também de olho na concorrência. Seja no concorrente similar ou maior que você, que fornece um serviço ou produto igual ou semelhante ao da sua empresa, fique atento para saber como está o mercado e quais as necessidades e desejos do cliente você tem mais chances de atender. Mas lembre-se sempre de ser fiel aos seus valores e aos do seu negócio.

Uma outra dica é fazer propagandas na internet, promovendo postagens na página ou perfil da empresa nas redes sociais. Esse canal tem sido importante aliado na divulgação de produtos e serviços, com grandes alcances. Até mesmo os anúncios pagos têm um valor baixo e podem trazer grandes resultados.

O segredo de tudo é não desanimar. Arregaçar as mangas novamente, erguer a cabeça, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Com empresários e consumidores unidos, cada um fazendo a sua parte, é possível fortalecer a economia local novamente. Vamos todos juntos pelo bem do nosso estado. #CompreDoPequeno.


Já leu nosso último post “30 opções de franquias para trabalhar de casa”? Confira aqui.

30 opções de franquias para trabalhar de casa

Naphat_Jorjee-Thinkstock

As franquias têm sido a opção de muitos empreendedores que estão abrindo seu próprio negócio. Isso porque esse modelo permite que o empresário inicie um negócio contando com a credibilidade de um nome ou marca já conhecida no mercado, além de receber treinamento, marketing e auxílio na gestão do negócio já testado anteriormente, diminuindo as chances de erro.

Se você pretende investir em uma franquia, mas não dispõe de muitos recursos, pode optar por empresas que permitam o trabalho em casa. Sem ponto comercial o gasto diminui, além da comodidade de tocar o negócio de forma móvel. Entretanto, é necessário muita disciplina, organização e planejamento por parte do franqueado para que o negócio seja um sucesso.

Nós já trouxemos aqui no Blog Sebrae ES um post com 7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office, que pode ser muito útil para você, caso opte por essa modalidade.

Se você gostou da ideia e pensa em abrir uma franquia home based, CONFIRA 30 opções de franquia selecionadas pela EXAME.com:

1. AcquaZero

A AcquaZero, que trabalha com lavagem ecológica e estética automotiva, possui mais 214 unidades e pretende, em 2015, comercializar 20 franquias por mês. A marca está há seis anos no mercado e oferece serviços como enceramento, cristalização de vidros, limpeza técnica de motor, impermeabilização de estofados, higienização de ar-condicionado, entre outros. A AcquaZero trabalha com dois modelos de franquia home based: o Licenciamento e o Delivery. O investimento inicial no modelo Delivery vai de 20 mil reais e chega a 30 mil (com carro reboque). Nesse modelo, o faturamento médio mensal é de 30 mil reais e o prazo de retorno do capital investido é de 12 a 18 meses.

Reprodução-Facebook-AcquaZero Estética Automotiva

2. AutoSPA Express

A AutoSPA Express, que tem 40 unidades e está no mercado há cinco anos, oferece lavagem ecológica e estética automotiva. A rede pretende crescer 25% em 2015. A marca só trabalha com franquias home based, que promovem serviços como lavagem ecológica, polimento e cristalização, espelhamento da pintura, impermeabilização interna, higienização interna, higienização do ar-condicionado, entre outros.

O investimento inicial é de 15 mil reais e o faturamento mensal do negócio é estimado em seis mil reais. A previsão de retorno do investimento é de a partir de seis meses de operação.

Divulgação

3. Ahoba Viagens

A Ahoba Viagens é uma rede de franquias de viagens online que se conecta ao cliente através de voz, texto e vídeo. A marca conta com 57 unidades em operação e pretende atingir 100 delas até o final do ano. O forte da Ahoba Viagens é que o franqueado possa vender em sua comunidade ou rede de relacionamentos, como uma segunda renda, evitando, segundo a marca, compras online sem suporte. O investimento inicial é de três mil reais. O faturamento médio mensal é de dois mil reais e o prazo de retorno parte de três meses de franquia.

GettyImages

4. Concretta

A Concretta, escola que oferece cursos de capacitação para mão-de-obra da construção civil, acabou de lançar um modelo de negócio que não exige ponto físico do franqueado. O professor atua como autônomo e vai de encontro aos alunos para realizar aulas práticas e teóricas, individuais ou em grupos fechados. A marca possui hoje 50 unidades vendidas de todos os seus modelos e a expectativa é que, até o final do ano, 30 franquias home-based sejam vendidas. O investimento inicial é de 36 mil reais e o faturamento médio mensal é de 10 mil reais. O prazo de retorno é estimado em 12 meses.

A rede também oferece modelos de franquia que exigem salas de aula.

Divulgação

5. DivulgaPão

A DivulgaPão, franquia de publicidade em sacos de pão, tem hoje 290 unidades e a meta é atingir 320 franquias até o final deste ano. Nesse modelo de negócio, cabe ao franqueado credenciar uma rede de padarias parceiras que veicularão os anúncios no saco de pão e vender os espaços aos anunciantes de todos os portes e segmentos. O investimento inicial da franquia é de 20 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 12 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de seis a oito meses.

Divulgação — Divulgapão

6. DocSystem

A DocSystem, que atua em software e serviços de informática, tem 61 unidades em operação. A expectativa é fechar o ano com 100 unidades em funcionamento. A marca tem dois modelos de franquia que podem ser administrados de casa: o DocSystem Silver e o DocSystem Express. Para o modelo DocSystem Express, o investimento inicial é de 19,7 mil reais. Já para o Home Silver, o investimento fica por 29,2 mil reais. O faturamento mensal dos dois modelos de franquia é de oito mil reais. O prazo de retorno é de sete a 12 meses. A rede também tem dois modelos que necessitam de um investimento maior e de funcionários: o DocSystem Gold e DocSystem Platinum.

Divulgação

7. Dona Resolve

A Dona Resolve, rede de franquias especializada em serviços domésticos e facilidades do dia a dia, tem hoje 47 unidades funcionando e outras 37 em fase de inauguração. A meta para 2015 é chegar a 120 unidades em funcionamento. A rede foi criada em 2013 e os serviços oferecidos incluem diaristas e mensalistas, motoristas, cozinheiras, babás, dog walkers, personal organizers, pet sitters, entre outros. O investimento inicial para a operação home based é de 30 mil reais. O faturamento médio mensal é também de 30 mil reais e o prazo de retorno começa em 12 meses. A marca também oferece um modelo de franquia com ponto comercial.

Divulgação

8. Doutor Auto Dry

A Doutor Auto Dry, rede de franquias especializadas em lavagem ecológica e estética automotiva sustentável, conta com 23 unidades em operação e pretende fechar este ano com 75 unidades comercializadas. A marca nasceu em 2014, no interior do estado de São Paulo. Atualmente, a rede trabalha com três modelos Delivery: o Carrinho Ducha Seca (licenciado), o Carrinho Doutor Auto Dry e o Triciclo Doutor Auto Dry. O investimento inicial varia de cerca de quatro mil reais a seis mil reais, dependendo do modelo adotado. O faturamento médio mensal vai desde de oito mil reais a 10 mil reais. O prazo de retorno do investimento varia de dois a nove meses.

Divulgação

9. Elefante Verde

O Elefante Verde foi fundado em 2011 e começou com o franchising no ano seguinte. São 50 unidades e a marca espera alcançar 80 delas em 2015. A startup e rede de microfranquias trabalha com marketing digital em uma única plataforma, com serviços como site, e-mail, avaliações de consumidores, e-mail marketing e cupons de descontos. O modelo home based se chama Franquia Light e é disponibilizado apenas para cidades com até 50 mil habitantes. O investimento inicial é de 13 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal varia entre sete e 10 mil reais. O prazo de retorno vai de 12 a 18 meses. A Elefante Verde também oferece outro formato, com ponto comercial, para cidades maiores.

Thinkstock-Ingram Publishing

10. Ensina Mais

A Ensina Mais, marca especializada em complemento escolar aos estudantes do Ensino Fundamental, tem 250 franquias distribuídas pelo país. Lançada em 2012, a rede pretende crescer 20% em 2015. A metodologia da Ensina Mais é baseada na interação das crianças e adolescentes com recursos tecnológicos, com aulas de português, matemática, inglês e informática.
 
 O investimento inicial para uma franquia é de 40 mil reais. O faturamento médio mensal é de cerca de sete mil reais e o prazo de retorno é de 18 a 24 meses. A marca também conta com outros três planos de negócio que não são home based: o Center, o Flex e o Inschool.

Divulgação

11. ERA

A ERA (Expense Reduction Analysts) é uma franquia criada em 1992 na Inglaterra e que trabalha com consultorias de redução de custos para empresas, por reformulações de contratos e readequação de preços e tarifas. A marca chegou ao Brasil em 2004 e tem 11 franqueados. Ela planeja abrir mais quatro unidades em 2015. O investimento inicial é de 125 mil reais. A remuneração dos franqueados da ERA não vem de honorários ou qualquer tipo de taxa, e sim dos ganhos de 50% sobre tudo o que conseguem economizar. A estimativa de faturamento médio mensal vai de 15 mil reais a 20 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de 24 meses.

Racheocity — Flickr

12. FlyWorld

A FlyWorld, microfranquia de turismo no Brasil, tem 40 unidades em operação no país. Criada em 1987, a empresa pretende se expandir nas regiões Norte e Nordeste e abrir 25 unidades nessas regiões. O franchising começou em 2013. O investimento inicial para uma microfranquia da FlyWorld varia de acordo com o número de habitantes do local do negócio: para até 50 mil habitantes, o investimento é de 12,5 mil reais; já para cidades com mais de 50 mil habitantes, o investimento sobe para 19,5 mil. O faturamento bruto é de 50 mil reais e o prazo de retorno do investimento vai de seis a 12 meses.

Divulgação

13. Gigatron

A Gigatron, empresa do setor de tecnologia, foi fundada em 1997. Hoje, a marca possui 84 unidades em operação e tem a expectativa alta de chegar a 200 unidades neste ano, que também marca o começo do oferecimento de franquias. A rede possui sete modelos de franquia, sendo que cinco deles permitem trabalhar de casa: o Giga SMS, o Software, o Giga WebSite, o App Lovers e o Giga Certificadora. O investimento inicial vai de 940 reais até 10 mil, dependendo do tipo de franquia escolhido. Já o faturamento médio mensal varia de cerca de mil reais a 22 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de até 24 meses.

Divulgação

14. Guia-se Negócios pela Internet

A Guia-se Negócios pela Internet é uma franquia de marketing digital e com formato adaptado para trabalhar em casa. A marca foi criada em 1997 e possui hoje 100 unidades. A rede oferece serviços como consultoria de marketing digital, criação de site, desenvolvimento de loja virtual, links patrocinados no Google e no Facebook, SEO, e-mail marketing, mídias sociais, hospedagem de site e e-mails.

O investimento inicial para a franquia é de 30 mil reais e o faturamento bruto mensal é estimado em 15 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de seis a 24 meses.

Divulgação

15. Jan-Pro

Todas as franquias da Jan-Pro, que opera no setor de limpeza corporativa e industrial, são home based. São 19 planos de franquia, começando com investimentos de sete mil reais e chegando a 118 mil reais. A Jan-Pro está no Brasil desde 2011 e tem 160 franquias operando no país, com 12 mil no mundo. A expectativa, para 2015, é vender mais 50 franquias no Brasil. O plano mais vendido pela Jan-Pro é o FP-30, com investimento inicial de 32 mil reais. O faturamento médio mensal é de sete mil reais e meio. O prazo de retorno do investimento é de 24 meses, contando que o faturamento não suba com o passar dos meses.

Divulgação

16. Leader Kids

A Leader Kids oferece um conjunto de programas educacionais extracurriculares voltado para crianças entre dois e nove anos de idade. O método adotado pretende estimular o desenvolvimento das competências socioemocionais do aluno. A marca foi inaugurada no ano passado e tem três unidades, atendendo escolas da zona oeste carioca. A expectativa é abrir mais 20 unidades neste ano. O investimento inicial para a franquia é de 29 mil reais e o faturamento médio mensal é de 25 mil reais. O prazo de retorno varia de 12 a 24 meses.

Divulgação

17. Learning Fun

A Learning Fun, que oferece inglês para crianças, foi criada em 1990 e começou com o franchising sete anos depois. A marca tem 33 unidades, sendo que a grande maioria é home based. A expectativa para este ano é abrir 10 novas franquias, sendo metade nessa modalidade.
 
 O investimento inicial para a franquia home based é de cerca de 27 mil reais. O faturamento médio mensal é de 10 mil reais e o prazo de retorno vai de 12 a 24 meses. A rede também oferece o modelo de franquia para curso de idiomas e para escola bilíngue.

Divulgação

18. Light Depil

A Light Depil é uma rede focada no tratamento de fotodepilação, com o uso da técnica da Luz Pulsada, nos formatos a domicílio ou Store in Store (dois negócios no mesmo espaço). A marca existe desde 2010. Hoje, são 30 unidades em funcionamento. A rede pretende crescer 25% neste ano.

O investimento inicial da franquia é de 15 mil reais e o faturamento médio mensal é de 10 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de a partir de seis meses.

Divulgação

19. Master House

A Master House, que promove serviços em reparos, reformas e manutenções, tem 11 unidades operando e pretende fechar 2015 com 30 unidades. A marca foi fundada em 2012 e está no franchising desde o ano passado. Entre os serviços oferecidos, está o de alvenaria, encanamento, eletricidade, pintura residencial e comercial, jardinagem, impermeabilização e manutenção predial. O investimento para a franquia home based é de 15 mil reais. O faturamento mensal fica em torno de 10 mil reais e o prazo de retorno vai de seis a 12 meses. A Master House também tem uma franquia em formato de loja.

Divulgação

20. Mídia Pane

A Mídia Pane, que trabalha com publicidade em sacos de pão, oferece apenas franquias home based. A marca foi fundada em 2010 e começou o franchising no ano seguinte. São 165 unidades abertas e outras 20 em processo de estruturação. A expectativa para 2015 é comercializar mais 130 franquias. O investimento inicial é de 16,5 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 12,6 mil reais. O prazo de retorno do investimento varia de três a seis meses.

Divulgação

21. Miss Pink

A Miss Pink oferece uma loja móvel com mix de maquiagens, esmaltes e hidratantes, para o empreendedor que quer trabalhar em casa ou fazer parcerias com shoppings, salões de belezas ou outros espaços comerciais. A rede foi fundada no ano passado e tem 12 unidades abertas. A expectativa para 2015 é considerada agressiva pela marca: chegar a 180 franquias vendidas.
 
 O investimento inicial é de 17 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 15 mil reais. O prazo de retorno é de três a 12 meses.

Divulgação

22. Quinta Valentina

A Quinta Valentina é uma franquia de comércio de calçados femininos com um canal de venda direta personalizada. A marca foi criada em 2010, mas só passou a trabalhar com franquias no ano passado. A rede soma 44 unidades em operação, distribuídas por 13 estados. A expectativa da marca é de alcançar 500 franquias até o final de 2015. O investimento inicial da franquia é de 16 mil reais. O faturamento médio mensal é de 14 mil reais e o prazo de retorno do investimento varia de três a 11 meses.

Divulgação

23. San Martin Seguros

A San Martin, que trabalha com seguros, tem 97 unidades em funcionamento e espera até o final do ano atingir 200 unidades. A marca foi fundada em 1995 e começou com o franchising em 2014. O investimento inicial é de 14,9 mil reais, tanto para a franquia home based quanto para a de escritório, e o faturamento médio mensal é de 15 mil reais. O prazo de retorno é de seis a oito meses.

Divulgação

24. Seguralta

A Seguralta, corretora de seguros criada no interior paulista, existe desde 1968 e começou seu franchising 40 anos depois. A marca tem 700 unidades em operação e espera fechar 2015 com 800 unidades. O investimento inicial é de 22,5 mil reais. O faturamento mensal médio é de 8oitomil reais e o tempo de retorno é de seis a 12 meses. A rede também tem um formato com ponto comercial, chamado “standard”, mas diz que a maioria dos franqueados são home based.

Divulgação

25. Sr. Computador

A Sr. Computador é uma franquia de manutenções e serviços em Tecnologia da Informação com atendimento doméstico e corporativo. A rede tem atualmente 35 unidades e espera mais 10 para este ano. A marca aceita franqueados desde 2012. A franquia home based tem um investimento inicial de 25 mil reais, enquanto a média de faturamento mensal para o modelo é de 20 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de seis a 18 meses. A Sr. Computador também oferece os modelos de loja e de conversão de bandeira.

Divulgação

26. TRC Sustentável

A TRC Sustentável, rede voltada para o desenvolvimento e comercialização de projetos sustentáveis, tem 37 unidades e pretende ter até o fim deste ano 100 delas. A marca foi fundada em 2004 e adotou o modelo de franchising em 2013. A franquia da rede exige um investimento a partir de 45 mil reais. Se o empreendedor desejar, a unidade pode, após um período, migrar para loja fixa. O faturamento bruto mensal é de 25,2 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de quatro meses.

Divulgação

27. Vip House Mais

A Vip House Mais, franquia de limpeza doméstica, está há 10 anos no mercado. A rede tem 16 unidades e a expectativa para 2015 é fechar com 50 delas. A marca oferece serviços como higienização e limpeza residencial e comercial. O investimento inicial para uma franquia é de 34,8 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 25 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de 12 a 24 meses. Atualizado no dia 18/08/2015.

Divulgação-Vip House Mais

28. Walking Party

A Walking Party, que tem um ônibus customizado para receber eventos, encontros e festas itinerantes, está em operação desde 2013. A marca tem 15 unidades e só trabalha com o modelo de franquia home based. A expectativa de crescimento da rede é de 25% neste ano.
 
 O investimento inicial começa em 50 mil reais. O faturamento mensal é estimado em 30 mil reais e o prazo de retorno do investimento é de seis a 18 meses. É preciso ter de três a quatro funcionários para operacionalizar a franquia.

Divulgação

29. Web4br

A Web4br é uma rede de franquias de agências de marketing digital. Hoje, a marca tem 12 unidades ativas e pretende abrir mais seis até o final do ano. A franquia oferece serviços como criação de sites institucionais, ações em mídias sociais, serviço de criação de lojas virtuais, disparo de e-mails marketing e outras ferramentas da web, como Google Analytics e Adwords, além da consultoria na área de design e artes gráficas. A franquia da Web4br tem investimento inicial de oito mil reais, e a estimativa de faturamento média mensal começa com cerca de cinco mil reais e vai até 30 mil, de acordo com o tamanho da cidade. O prazo de retorno do investimento é de quatro a oito meses.

Thinkstock-Huchen Lu

30. Zupy!

A microfranquia Zupy! oferece um guia online para lojas, restaurantes, serviços, indústria, lazer, imóveis e veículos para diversas regiões. O franqueado atuará montando o guia de um certo local. São oito unidades da marca atualmente e a expectativa para o ano é abrir mais 10. O investimento inicial para quem trabalha de casa fica em torno de 10 mil reais e o faturamento médio mensal é de seis mil reais. O prazo de retorno do investimento é de três meses. A microfranquia também oferece um modelo com escritório.

Divulgação

Agora que você olhou todas as opções, pode buscar mais informações sobre aquela que mais lhe interessou para saber como abrir a sua franquia. Ou ainda, pode usar as ideias aqui apresentadas para se inspirar e montar o seu próprio negócio.

Independente do setor, do tamanho, da localidade, do que pretende abrir, lembre-se sempre de se planejar para que seus objetivos possam ser alcançados mais facilmente.


Já leu nosso último post “Foque no seu cliente e melhore suas vendas”? Confira aqui.